Pabllo Vittar: “Baby, ele chegou atrasado. Brasil é paraíso gay. É o nosso país”

Pabllo Vittar: “Baby, ele chegou atrasado. Brasil é paraíso gay. É o nosso país”


O presidente deu uma declaração falando
que não quer que o país vive um paraíso gay Mas, Baby,
ele chegou atrasado, porque o Brasil é um paraíso gay muito antes de eu nascer. Já
tinham festas, gala gay… Vão para o Brasil, vamos nos abraçar, vamos resistir Eu cresci em Belém…Em Belém não, no Pará, numa cidadezinha, em Santa Isabel do Pará, mas eu sou
maranhense, nasci em São Luís, e a música sempre esteve presente na minha casa, na
minha família. Minha mãe me levava pra igreja para cantar no coral. Então acho
que ela foi uma das propulsoras a me empurrar para cantar. Isso foi crescendo
junto comigo, desde sempre Até na hora que eu falei: cara, vou tentar
uma coisa, tentar, né? Uma coisa mais séria… Fui para Indaiatuba,
no interior de São Paulo, com 15 anos, e fui tentar a carreira, só que não
consegui… Então, eu trabalhei de tudo: telemarketing, fast food,
cabeleireiro. Fui para Uberlândia, onde minha mãe já estava morando lá em Minas.
Aí lá, minha filha, conheci todo mundo, conheci os meus empresários que
trabalham comigo até hoje. A primeira vez que eu montei foi numa festa de
Halloween do meu aniversário de 18 e depois desse dia nunca mais parei de montar.
Logo depois desse dia que eu me montei, os meus empresários me conheceram, me
colocaram para cantar numa festa. Aí, cabou.. Eu sou uma pessoa que acredita muito
em Deus. Tudo que acontece na minha vida é porque Deus autorizou, Deus deixou. Eu nunca
na minha vida imaginei que ia fazer um show aqui hoje.
Nunca pensei… Conhecer outros lugares é muito doido, porque você sai da sua zona de conforto. Agora nesses últimos dias, eu acho que eu vivi mais do que no
último ano. Eu passei por Argentina, México, Portugal… Nossa, aqui as coisas
são muito grandes. Passada… Tipo, se é uma casa, é uma “casona”, se é um prédio, é um “predião” Se é um objetivo meu tentar a carreira
internacional cantando em outras línguas? Sim, mas não com “ai, nossa eu tenho que
hitar lá fora, ai, meu Deus, minha música tenho que cantar em inglês porque quero atingir
Nova York, quero atingir as Américas…” Não, quero atingir todos esses lugares cantando em
português Eu malho sempre no dia do show.
Se tem show hoje, amanhã e depois, eu vou malhar esses três dias, que
eu quero estar assim, “on fleek always” Aí tem todo um aquecimento vocal, um preparo.
Antes de entrar no palco, eu gosto de ficar sozinha com as minhas amigas
ou sozinha, sozinha, e me aquecer, me alongar para subir ok. “This is my virtue” Eu não tive uma
figura masculina na minha casa. Era eu e minhas duas irmãs. Sempre fui muito
feminina, tipo, e eu amo ser afeminada, eu acho isso incrível, porque eu posso ser quem eu
quiser, sabe? Deus te deu um corpo, livre arbítrio. Quando eu estou montada, eu quero que
me chamem no feminino. Mas eu não me importo, no masculino, feminino… Pra mim, é só um
artigo, sabe? Eu acho que o gênero vai muito mais além disso. Quando minha mãe,
naquele tempo, na cidade pequena onde eu morava, onde eu saía na rua e todo mundo
ria de mim. Eu ia para a escola, as pessoas me xingavam, e eu chegava em casa,
minha mãe me abraçava. Nossa, era incrível. E eu tinha amigos que eram gays
que não tinham esse apoio da mãe, sabe? Então, me senti a pessoa mais “fodona”. Por isso que
eu falo para os pais que têm filhos LGBTQs:
abraçem seus filhos, cara Saudades de mamãe… Fora do Brasil é mais difícil A gente conversa todos os dias. Falando que eu sou
merecedora de tudo. Eu falo: “mãe, a culpa é toda sua, gata, você que me fez assim, forte.”
Ela é muito gay, minha mãe. Quando ela fala “ai você vai arrasar tanto, viado”. E eu estou arrasando. Estou cansada, mas estou arrasando Eu acho que o fato de eu ser drag impulsiona minha carreira sim, porque é o que eu não conseguiria fazer em Pabllo normal, sabe? A Pabllo Vittar me dá força para subir no palco E o que eu não tenho coragem de fazer, a Pabllo Vittar faz e com muito mais audácia Ela é perigosa Ser uma drag hoje em dia significa resistência.
Drag queen é do povo, drag queen é para fazer rir, drag queen é para fazer chorar, drag queen é para atuar, é para cantar. O lado ruim é te desmontar. Às vezes, eu me sinto tão bonita
que eu não quero tirar a maquiagem Eu vou cantar e performar nas maiores
paradas gays do mundo e eu estou muito feliz porque é uma gay do Brasil levando
voz para a comunidade “around the world” Por enquanto, meu ato político é estar no
palco sendo drag. Falar é importante na música? É muito importante, é lindo… Mas
trazer alegria também pro pessoal que sofre todo o dia com discriminação e
preconceito também é muito importante Isso é foda. Antes da Beyoncé fazer letras
politizadas, ela lançou muito álbum farofada para as gatas.
Eu quero diversão, por enquanto E eu quero viver tudo, quero viver tudo,
tudo, tudo, tudo que eu puder eu viver Hoje em dia eu leio um comentário, tipo
“ai, morre, seu viado” Antigamente, eu ia para o meu quarto chorar. Hoje,
“ai, meu Deus, mais um doido, mais uma pessoa sem noção jogando ‘hate’ na internet”. E é
aquele ditado: estar na internet é terra sem lei. As pessoas acham que podem fazer
tudo, mas não é bem assim, né? Elas têm que ter responsabilidade
emocional com a vida dos outros porque um comentário às vezes pode acabar com
uma vida. A cada novo trabalho que eu faço, a cada passo que eu dou, muita gente
me apoia, mas muita gente também taca pedra, sabe? Não processo ninguém, porque
eu acredito muito em um ditado: “falem bem ou falem mal, mas falem de mim.”
E eu não vou perder meu tempo processando essas pessoas, porque eu tenho certeza
que muitas delas não vão ter nem dinheiro para me pagar, nem para me ressarcir. Então continuem falando, me dando ibope e colocando meu nome no Trending Topics
do Twitter, do Google Eu lembro de quando, no tempo das eleições, as pessoas me perguntavam: “Pabllo, mas você vai mesmo embora do Brasil?” Eu vou embora do Brasil
por quê, viado? Se o Brasil é meu, é seu. O país é nosso. Eles que lutem, porque a gente vai resistir e vai continuar dando muito close nesse paraíso chamado “Brazil”

Author:

100 thoughts on “Pabllo Vittar: “Baby, ele chegou atrasado. Brasil é paraíso gay. É o nosso país””

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *