Não é só Previdência! 4 grandes desafios de Bolsonaro na economia

Não é só Previdência! 4 grandes desafios de Bolsonaro na economia


Gente, quantas vezes vocês ouviram falar
em reforma da Previdência na última semana, no último mês ou desde a campanha
presidencial? Pois é, quando o assunto é tentar ressuscitar a economia,
parece que a equipe do presidente Jair Bolsonaro está batendo sempre na mesma
tecla. O ministro da Economia, Paulo Guedes, não cansa de repetir que sem a
reforma da Previdência não dá Ele chegou a dizer que não tem apego ao
cargo depois de perguntarem se ele deixaria o ministério caso o Congresso não aprove essa proposta A equipe do Bolsonaro já viu que não é
uma tarefa fácil negociar com deputados uma medida que mexe com o futuro de
tanta gente. Mas não é só esse tema que o governo tem que enfrentar na economia não.
Eu sou Laís Alegretti, repórter da BBC News Brasil aqui em Londres, e eu conversei com
economistas e com o secretário de Política Econômica para explicar em
quatro pontos os outros desafios nessa área e discutir
também se essas medidas devem esperar a reforma da Previdência ou se elas já
deveriam estar sendo tocadas pelo governo São questões que têm a ver com que
Bolsonaro prometeu na campanha e também com problemas que o Brasil acumula
há décadas. Primeiro vou explicar rapidinho porque é que o governo aposta tantas
fichas na reforma da Previdência A verdade é que esse projeto é considerado
o grande teste de força para o presidente Jair Bolsonaro. Ele já disse que fez a
parte dele ao enviar o texto para o Congresso.
Mas se por acaso acontecer uma derrota nessa votação, vai entrar na conta como uma perda da equipe dele. E como eles defendem a reforma? O governo diz que o
aumento dos gastos com aposentadorias e pensões é insustentável e que tem muita
gente com regras privilegiadas. A equipe econômica disse que o projeto representa
uma economia de mais de 1 trilhão de reais
em dez anos. Mas até quem confia na aprovação do projeto
sabe que os deputados e senadores devem amenizar a reforma. É o que lá em
Brasília é chamado de “gordura”. O governo faz a proposta com alguns pontos que já
sabe que o Congresso vai tirar, mas usa isso como uma margem para negociação. Bom,
já deu pra entender porque está todo mundo de olho na reforma da Previdência. Mas o que mais o governo tem pela frente? Número 1: reforma tributária.
Todo mundo ouve dizer ou sente na prática que as regras sobre os tributos
no Brasil são muito cheias de detalhes e de exceções também. E há tempos que se fala
na necessidade de simplificar o sistema tributário.
Mas por enquanto o governo tem indicado que vai deixar esse desafio, que também
depende do Congresso, para depois da Previdência. Mas não é todo mundo que
concorda com essa estratégia O economista Roberto Piscitelli, professor
da UnB, fala que há uma obsessão com a reforma da Previdência e que ele colocaria mudança
nas leis tributárias em primeiro lugar Segundo ele, teria um efeito maior num
prazo mais curto e atingiria menos gente Já a economista Silvia Matos, do Ibre-FGV,
diz que pode ser demais para esse momento pensar em aprovar reformas da
Previdência e tributária ao mesmo tempo embora as duas sejam muito importantes.
No contexto atual, ela disse, o risco é acabar não passando nada. Ela explicou que
o sistema tributário brasileiro gera incentivos errados.
Isso porque tem regras diferenciadas para algumas empresas em situações
específicas. São os chamados regimes especiais. Também tem os incentivos
fiscais, que são aquelas ajudinhas que o governo promove para alguns setores em
dificuldade, que nem sempre são revistos Aí ela disse que acontece o quê? As
empresas empenham mais esforço em buscar essas ajudas do governo, com essas regras
especiais, do que em aumentar a produtividade e eficiência Número 2: infraestrutura, concessões e privatizações.
As parcerias do governo com a iniciativa privada em infraestrutura
também são esperadas para rodovias e aeroportos, por exemplo. E as
privatizações de empresas públicas também… Foi promessa de campanha de Jair
Bolsonaro. Já no governo, o ministro Paulo Guedes reforçou que as privatizações e a
venda de ativos são algumas das prioridades da gestão dele. O ministro
chegou até a mencionar a Petrobras e o Banco do Brasil e dizer que “tem que ir
tudo”, ao defender a privatização das estatais.
Para este ano, ele apresentou uma estimativa de arrecadar 20 bilhões de
dólares com privatizações e depois disse que esse valor pode até ser superado em
40% Isso daria 28 bilhões de dólares ou
cerca de 110 bilhões de reais A economista-chefe da Fecomércio do Rio
Grande do Sul, Patrícia Palermo, diz que o governo precisa pelo menos apresentar
uma agenda de privatizações neste ano Que é para sinalizar o compromisso nessa área.
O secretário de Política Econômica, Adolfo Sachsida, garante que as coisas estão
andando nesse sentido Ele diz que são necessários muitos passos
até conseguir colocar uma empresa em condições de ser privatizada e garante
que o processo já começou Número 3: abertura comercial. Outra promessa de
campanha que agora é aguardada é uma mudança na política comercial. A equipe
liberal de Guedes defende abrir a economia brasileira, que eles consideram
muito fechada. Essa abertura pode acontecer pela redução das tarifas de
importação ou também com a derrubada de medidas burocráticas que dificultam a
importação de bens de consumo, máquinas e equipamentos. Nesse ponto, o assunto é
delicado porque essas mesmas barreiras muitas vezes são justificadas pela
necessidade de garantir a segurança do consumidor.
Um exemplo é a exigência de certificação da Anvisa para importação de defensivos
agrícolas e do Inmetro para os brinquedos e produtos eletrônicos. Os
economistas liberais acreditam que essa é uma forma de estimular a competição
interna e aumentar a interação com outras economias.
Ao comentar o tema, Adolfo Sachsida citou Paulo Guedes e diz que é necessário
respeitar o empresário nacional, que tem os custos de produzir no Brasil. Ele
disse que o governo vai começar essa abertura aos poucos e aumentar de forma
gradual Número 4: o último item da lista é a tão falada redução da burocracia Nesse ponto, os especialistas com quem eu conversei concordam em um aspecto: as
medidas para reduzir a burocracia podem e devem ser tomadas em paralelo a
reformas maiores. Como exemplo, a economista Patrícia Palermo sugere uma
redução na quantidade de informações que as empresas têm que passar para o
governo Ela diz que os empregadores têm que
declarar várias vezes os mesmos dados sobre os funcionários. O secretário de
Política Econômica disse que o governo tem tomado ações para reduzir a
burocracia e enxugar a máquina pública Ele citou duas coisas: o decreto que
estabeleceu o corte de 21 mil cargos e funções no executivo e a decisão de
revogar 250 decretos antigos O professor Roberto Piscitelli diz que
muitos desses decretos na verdade já não estavam em vigor e que isso não fez tanta
diferença assim. Ele falou também que o governo tem mesmo que tomar medidas para
facilitar a vida das pessoas, mas que deve ter cuidado com a eliminação de
controles. Na área de meio ambiente, por exemplo, o professor diz que não dá
para passar por cima de questões essenciais de segurança sob o argumento
de agilizar os processos. Bom, com a economia brasileira patinando, o governo tem muito
trabalho pela frente para tentar reverter o desemprego, que hoje atinge 13
milhões de brasileiros. Se você quiser saber mais detalhes, dá uma olhadinha no
link aqui embaixo para ler a matéria no site da BBC.
A gente vai continuar acompanhando tudo isso por aqui. Gente, espero que vocês
tenham gostado do vídeo… Gente, eu espero que vocês tenham gostado
do vídeo porque foi o meu primeiro aqui no Estúdio BBC. Vocês talvez já acompanhem
nossa playlist com vários assuntos sobre economia, sobre política. Toda semana tem
alguma coisa nova Deixem aqui o comentário de vocês e falem
sugestões para outros vídeos ou o que vocês acham que podia melhorar, porque a gente
vai ficar de olho em tudo. Até a próxima

Author:

100 thoughts on “Não é só Previdência! 4 grandes desafios de Bolsonaro na economia”

  • Evandro Oliveira says:

    Mandou bem! Parabéns. Vamos torcer por uma sinergia dos 3 poderes e mais o 4 poder (o povo) para que o Brasil melhore em todos os aspectos. Não é possível , não entendo como tem gente que quer prejudicar sua própria pátria e seus filhos….

  • Daniel Barbosa says:

    Tem que escutar vários e economistas, já que tem uns que são totalmente a favor do governo e outros totalmente contra!!

  • Débora Marinho says:

    Não se pode acabar com ap. Por tempo de contribuição. O rombo na previdência seria ressarcido apenas se os valores de sonegação de impostos de grandes empresas fossem cobradas… essa reforma é uma canalhisse, como sempre a intenção é escravizar os menos afortunados!

  • Oswanildo Dell'Angelo says:

    Os deputados da oposição além de outros que nem são da oposição, estão mais atrapalhando do que ajudando. Estão se mostrando dispensáveis!!!

  • Bem explicado, só acho que deveriam ver a entrevista do Ministro PG dada para sua concorrente na última quarta-feira (17/04/2019) antes de emitir este vídeo…

  • Agenor Rodrigues says:

    Afirmar que o Regime Geral sempre gastou mais do que arrecadou, isso é ser tendencioso. Se você buscar na história como surgiu o Regime Geral de Previdência e a montanha de dinheiro que os Militares pulverizaram, você perceberá que ha uma distorção da verdade. Então não é bem assim.

  • Queria saber um produto que foi homologado na Europa, canada,EUA,japao,suecia, precisa ser homologado DE NOVO aqui no Brasil?

  • A reforma tributária não reforça o caixa do governo que está quebrado. O governo precisa economizar, e a reforma tributária não contribui para isto. Se a reforma da Previdência não passar, serão poucos os empresários que irão se aventurar a contrair empréstimos e gerar empregos somente pelo fato do país ter feito uma reforma tributária. A reforma tributária é uma forma de simplificar o pagamento dos impostos pelo empregador, minimiza os gastos e tempo necessários para o pagamento de tributos, e existe também uma vontade de direcionar a maior carga tributária para renda e consumo, e diminuir a carga tributária da produção. Mas sem a reforma da Previdência, ninguém, ninguém com juízo, irá acreditar e investir no Brasil.

  • Eu ia até elogiar, mas pqp, vocês não se emendam, defender o indefensável é ridículo. Ele quer privatizar para gamnhar o que as estatais deram de lucro. Tomem vergonha na cara BBC !!!

  • Vocês estão de parabéns! De forma clara, objetiva e rápida, passam as notícias levando a reflexão sobre o tema abordado.

  • Raphael Goulart de Alcantara says:

    Muito bom o vídeo. Poderia ser feito um vídeo para cada um dos temas abordados. Todos são muito importantes

  • BBC sempre surpreendente,tanto no conteúdo quanto na qualidade de seus colaboradores, primeira vez que vejo uma reportagem apresentada por Laís Alegretti, fiquei maravilhosamente surpreendido,boa dicção,firmeza na fala, simples e objetiva, parabéns a BBC Brasil e parabéns a correspondente Laís Alegretti.

  • Sem tirar do povo para garantir o pagamento da divida interna (Obrigado Lula, por ter triplicado o déficit) a economia não cresce.

  • Lula e Bolsonaro são péssimos e estão no mesmo nível. Não fizeram nada que de fato mudasse a vida da população. Ninguém merece minha confiança. Cadê o político honesto e batalhador? Não existe infelizmente. Se existe eu nunca vi.

  • SIQUEIRA DE MENEZES says:

    Moca, me explique; como se pode fazer qualquer reforma , sem antes fazer a reforma Politica e constitucional? o Congresso nacional não ê totalmente legitimo a maioria ainda foi eleito "comprando" votos do eleitor incauto. Segundo S.A.I.R o Principe Dom Luiz Phillipe a atual constituição ê Cubana! Não seria melhor primeiro , parar tudo para se refazer o Estado Brasileiro criar regras mais claras para tudo com uma nova constituição? Afinal o Brasil tem a necessidade de se definir e escolher tanto seu regime Politico como sistema de governo.

  • Esse governo é uma organização criminosa. A reforma da previdência é necessária sim mas não precisa prejudicar o trabalhador.

    Deveria é cobrar os 491.bilhões das empresas devedoras. E sem oferecer desconto ou parcelamento, deveriam é confiscar os bens e dinheiro dos donos e até estatizar ou repatriar as que foram privatizada.

    Além disso, deveriam cobrar o inss do trabalhador rural, eles não são coitados. Não precisam pagar aluguel pra morar, passagem pra trabalhar e ainda gastam menos com alimentação. Além de ganharem muito bem, se observarem, o trabalhador rural só tem simplicidade, pois possuem caminhionetes, caminhões pra trabalhar nas feiras e um padrão de vida melhor que o trabalhador da cidade. Sem falar que, assim como eu, creio que a sociedade não aceitaria que seu dinheiro do inss pagasse aposentadoria pra quem nunca contribuiu.

    Outro ponto que o governo deveria priorizar é fazer os 13 milhões de desempregados se tornarem contribuintes com seus empregos.

    Só os 13 milhões de desempregados e o 17 milhões de trabalhadores já resolveria o déficit do inss.

    13 milhões + 17 milhões. = 30 milhões de contribuintes
    30 milhões * 13 mil (salário anual) = 390 bilhões

    390 bilhões * 19% (8% inss trabalhador + 11% inss empresa) = 74,1 bilhões anuais
    74,1 * 10(anos) = 741 bilhões
    741 bilhões + 491 bilhões (devedores) = 1,232 trilhões

    Ou seja, é possível ter 1,232 trilhões em 10 anos melhorando o emprego e a economia ao invés de 1,16 trilhões prejudicando o brasileiro

  • Gostei, mas poderia adotar uma postura critica favoravel as propostas visando o futuro sonhado por todos. Vivemos mais uma oportunidade de dar um salto, mas muitos resistem por falta de informacao, e FAKE NEWS plantado por motivos conhecidos.

  • Robson Almeida says:

    Privatizar Petrobras e Banco do Brasil é um grande erro na minha opinião. Como você vende tua reserva de combustível pra gente do estrangeiro e ainda a preço de banana? Sem falar nos trabalhadores brasileiros que podem perder o emprego nessa situação, o que aumenta mais o desemprego. Eu investiria numa melhor gestão e deixaria os lucros dessas empresas por aqui mesmo.

  • Miguel Stoneberg says:

    https://www1.folha.uol.com.br/amp/mercado/2019/04/governo-decreta-sigilo-sobre-estudos-que-embasam-reforma-da-previdencia.shtml

    Se fosse bom para o povo eles teriam o que esconder?

  • Marcos Luis Souza Melo says:

    Concordo plenamente que a Reforma de Previdência seja importante porém só ela não vai adiantar nada e vai continuar dificultando a vida do povo…comentário fascista e socialista né???, nada disso, Petista??? nada disso, mudar as regras do direito de se aposentar e de receber um apoio financeiro depois de uma certa idade não vai resolver o desemprego, vejam, a nível de impostos quanto vai ser reduzido?, e com relação às relações trabalhistas? um profissional com mais de 20 anos de mercado vai ter garantido o emprego ou a chamada segurança profissional?, na minha opinião só a reforma não vai mudar nada e vamos continuar com um resultado de nível de atividade econômica baixa…, sou Administrador e Controller, não sou economista porém se da sacola só sai e não entra nada qual será o fim? Não sou petista mas estou acordado…vamos aguardar o desdobrar dos acontecimentos.

  • Karolline Cavalcante says:

    Parabéns por ter trazido esse comprometimento com a responsabilidade social, BBC News! Os vídeos tem sido bem completos e como são curtinhos eu consigo assistir durante o break no trabalho. Vou continuar acompanhando.

  • O presidente ainda tá se apegando a coisas desnecessárias. Ele não tá colocando quase nada na prática. Horário de verão é algo a se preocupar? Comercial do BB é algo para se preocupar? Olha o cargo dele pra se preocupar com essas coisas

  • Privatiza tudo, mas os salários e privilégios dos políticos permanece! Não adiantar cortar de um lado sendo que o câncer só querem aumento e mais privilégios para eles

  • AGORA OS APONSENTADOS VAI SOFRE MAIS AINDA OS TRABALHADORES VAI MORRE TRABALHADO …SO FALTA APROVA A CARDEIRA VERDE E AMARELA PRA NOIS SFD MAIS …

  • Jefferson Evangelista says:

    A reforma da previdência e mais importante, Não tem como vc cortar tributos antes de corta gastos.
    O governo ta quebrado não tem como cortar imposto agor

    Ri

  • Etnovisão - Edgar Kanaykõ Xakriabá says:

    Está muito bom este formato de notícias da BBC de forma prática objetiva e descontraída

  • Laiz Sabrina says:

    Senhor presidente porque e essa reforma não veio pra melhor a onde foi que vai uma família ficar sem pensão porque o falecido deixou de pagar a previdência isso E injusto.

  • Irismar Araújo says:

    Ah nao qro mais Intervencoes…pq a reforma é uma extorsao politica mascarada de reforma…conversa…reduz nada …só aumenta….simplificar é reduzir letras economincas …mas o.percentual faz é subir kkkk

  • Na parte de reforma tributária, não falaram nada dos impostos no Brasil serem regressivos, isto é, dos pobres pagarem mais do que os ricos?

  • Jackson Amaral says:

    muito bom. espero que o o governo consiga mesmo atingir esses objetivos pra melhorar o brasil. estou do lado das melhorias.

  • zanja viuvinha says:

    É mas quando é para o brasileiro ganhar e não os congressitas a guerra aparece. SE apresentar mais de proposta eles vão escolher só uma , por isso mandaram a da previdência ainda mais com esse congresso viciado no toma-la da cá .

  • jerfesson Silva says:

    Recentemente noticiou que as 3 maiores emoresas deram lucros de 50 bilhões ,ou seja uma empresa estatal da lucro em média por ano se bilhões ,aí um cara que entende de economia quer vender a estatal pela metade do lucro anual com justificativa de que vai usar essa grana para investir no país ,que acéfalo faz isso ? Se esta dando prejuízo para o estado não é melhor tentar rever a política da empresa em vez de vender ,e quem compra uma empresa que não dá lucro?

  • Filipe Farias says:

    show o vídeo. Meus parabéns pelas informações com credibilidade e simplicidade na apresentação do conteúdo.

  • Carlos Godoi says:

    Evoluir sempre e sempre estará em evidência. Parabéns pelo seu primeiro vídeo!! Acompanho sempre este portal de notícias. Há anos, não vejo mais tv e suas inúteis notícias tendenciosas e previamente agendada para influenciar.

  • Valdo Morais says:

    Esse governo é corrupto mesmo. Ano passado as estatais federais lucraram 70 bilhões,e eles qurem vender pq? Seria razoável isso? Eu vender minhas empresas que dão lucro. Aliás essas empresas pertencem ao povo e não a essa "equipe econômica " . Eles vão embora e nós ficaremos. Qual o objetivo de vender empresas ,que não são deles? Estariam recebendo presentinhos das multinacionais estrageiras? E o alvo principal é a nossa empreza que mais da lucro. Reflitam!!!

  • ENFIM, uma "contra-balança" que não se enquadra ser de esquerda ou de direita. Uma ótima análise que coloca a todos numa posição de reflexão em busca do melhor para o nosso País. Parabéns à equipe e ao canal.

  • Ricardo Araujo says:

    Façam um vídeo sobre a dívida pública que é o verdadeiro buraco negro das contas públicas e não a previdência.

  • Wilton César de Azevedo says:

    Nossa!!! Quatro GRANDES DESAFIOS pra um presidente incompetente e incapaz resolver??? Estamos ferrados!!! 🤜👌

  • Carlos Silvano says:

    Essa criatura não sabe como fazer crescer a economia ,ai na cabeca desse psicopata a solucao esta em Vender tudo ,e fazer uma( reforma)que só ferra os pobres .

  • Fábio Lemos Pereira Lins says:

    Ficou muito bom o vídeo, a explicação ficou boa, é bom quando alguém consegue passar informações tão complexas de forma simples, também gostei dos erros de gravação, rs, afinal, isso acontece com todos nós 🙂

  • SEBASTIÃO QUIRINO ROCHA says:

    REFORMA DA PREVIDENCIA A MAIOR FARCA DO AULO GUEDESQUE DIGA O DR EDUARDO MOREIRA A DRA AUDITORA MARIA LUCIA FATTORELLI CALHORDS OPRESSORES DOS TRABALHADORES

  • No Brasil acho que só o regime de ditadura pode fazer o país dar certo, porque o nosso congresso é antidesenvolvimentista, que só beneficia a classe oligarquica desse país, no qual eles são descendentes.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *