Embaixada em Jerusalém: O que Brasil pode ganhar e perder se aliando a Israel?

Embaixada em Jerusalém: O que Brasil pode ganhar e perder se aliando a Israel?


Pouco antes de tomar posse, Bolsonaro se
reuniu com o primeiro ministro israelense Benjamin Netanyahu. Depois,
confirmou que pretende seguir os passos de Donald Trump e transferir a embaixada
do Brasil de Tel Aviv para Jerusalém O que isso significa para o Brasil? Eu sou
Nathalia Passarinho, repórter da BBC News Brasil aqui em Londres e hoje vou falar
do impacto que essa decisão pode ter em três áreas: economia, segurança e
relações internacionais Primeiro, vamos entender por que que
esse assunto é tão polêmico. Jerusalém é uma cidade importante, considerada
sagrada tanto para o judaísmo quanto para o islã e o cristianismo. Israel
reivindica todo o território como sua capital.
Os palestinos querem que parte da cidade, Jerusalém Oriental, seja a capital de um
futuro Estado palestino Isso faria parte da chamada solução de
dois estados, defendida pela maior parte da comunidade
internacional e também pela ONU. Essa ideia da divisão da capital vem desde a
criação do Estado de Israel, em 1948, quando judeus haviam acabado de ser
vítimas do holocausto e ganhavam finalmente o seu Estado. Na época, o
território estava sob domínio britânico e parte da área atual de Israel era
habitada por palestinos. Nas guerras que se seguiram à fundação do Estado de
Israel, iniciadas por países árabes vizinhos, os palestinos acabaram expulsos,
não só de Jerusalém, como também da maior parte do território que habitavam.
Justamente por achar que o status de Jerusalém só deve ser decidido em
negociações de paz por consenso, a maioria dos países não toma partido e
mantém as suas embaixadas em outra cidade israelense, Tel Aviv. Quando
Trump assumiu a presidência, ele mudou a embaixada americana para Jerusalém Em seguida, Guatemala fez a mesma
coisa O Paraguai chegou a mudar, mas voltou
atrás depois que mudou o presidente. E o Brasil, embora não tenha uma data
definida para isso, parece seguir no mesmo rumo. E por que Bolsonaro decidiu
transferir a embaixada brasileira? Primeiro, é uma decisão que atende a
pedidos de alguns grupos evangélicos. Eles temem que o
território, sagrado também para os cristãos, esteja sob ameaça, e, com base em
preceitos bíblicos, acreditam que ele deva ser habitado pelos judeus.
Em segundo lugar, a transferência representa ,segundo analistas com quem eu
conversei, um sinal forte do governo brasileiro de aproximação com os Estados
Unidos, que são o principal aliado de Israel. Mas a decisão também gerou
reações negativas de países árabes, com os quais o Brasil sempre manteve boas
relações diplomáticas e comerciais. Agora vamos às consequências práticas da
aproximação do Brasil com Israel Economia: eu levantei vários dados com o
Ministério da Indústria e Comércio Exterior e conversei com os setores
produtivos do Brasil pra entender qual o peso das relações entre o Brasil e
Israel e outros países do Oriente Médio Quando a gente fala de trocas comerciais
brasileiras, países árabes têm um peso bem maior que Israel. As trocas com
Israel representam 0,4% do comércio exterior brasileiro. Em
comparação, 6% das nossas exportações vão para as nações islâmicas.
Mas é quando a gente analisa setores específicos que esse peso fica mais
evidente. Os países muçulmanos recebem cerca de 70% de todo o açúcar exportado
pelo Brasil, 37% do frango e 27% da carne de boi. Setores produtivos
disseram que já receberam alertas de retaliação por países árabes, ou seja, as
nações dizem que, se o Brasil concluir o processo de transferência da embaixada,
poderão comprar menos do nosso país. Mas calma, calma, calma. Mas calma… não é tão
fácil assim simplesmente substituir os nossos produtos. Poucos países seriam
capazes, pelo menos no curto prazo, de exportar para o mundo árabe na mesma
quantidade e preço que o Brasil. E algumas alternativas esbarram em
conflitos geopolíticos. Um exemplo: somos o maior exportador de carne halal do
mundo, que é uma técnica de abate que segue os preceitos do islã. Se países
árabes quisessem substituir o produto brasileiro, teriam que correr, no curto
prazo, para o segundo e o terceiro que mais exportam, que são Estados Unidos
e Austrália São justamente dois dos principais
aliados de Israel Ainda assim, o setor de exportação está
preocupado, porque a médio e longo prazo pode ser que outros países se mobilizem
para ocupar esse vácuo e vender açúcar e carne aos países árabes. E o que que a
gente pode ganhar na área econômica com essa aliança com Israel? O principal
interesse brasileiro é firmar parcerias que incluam transferência de tecnologia:
irrigação para o setor agrícola, dessalinização de água em áreas de seca
estão na mira do governo Os setores comerciais que defendem uma
aliança forte do Brasil com Israel argumentam que, mesmo que o volume de
comércio entre os dois países seja relativamente pequeno, a compra de
tecnologia pode ajudar a diversificar e aumentar a produtividade brasileira. O
presidente da Câmara de Comércio Brasil- Israel deu um exemplo: ele disse que o
Brasil não produzia melão comercialmente Na década de 60, com uso de tecnologia
israelense, passou a produzir no Vale do São Francisco e se tornou… “Do São Francisco”… It’s like brazilian TV in the 80’s: “No Vale do São Francisco”… e se tornou um dos maiores
exportadores dessa fruta Agora você pode se perguntar se, já que é
pra comprar a tecnologia, e comprou nos anos 1960,
dá pra fazer isso agora sem transferência da embaixada. Mas o
argumento é que uma relação de confiança mais próxima entre os dois governos pode
criar condições mais favoráveis para o Brasil nas negociações, incluindo as mais
sensíveis, como segurança, que é o nosso próximo ponto. Uma preocupação gerada com
essa aliança do Brasil com Israel é uma possível reação de grupos radicais
islâmicos O professor de Relações Internacionais
da Fundação Getúlio Vargas, Matias Spektor, disse que a missão das Nações
Unidas no Líbano, da qual o Brasil faz parte, alertou que soldados brasileiros
em ações da ONU no Oriente Médio podem, por exemplo, passar a ser alvo desses
grupos. Por outro lado, a parceria com Israel
atende a algumas preocupações internas com segurança.
Existe uma expectativa por parte do governo brasileiro de que o uso de
tecnologia israelense na área cibernética contribua para o combate ao
crime organizado. Na Olimpíada do Rio de Janeiro, por exemplo, o satélite Eros B,
de Israel, com capacidade para identificar objetos suspeitos mesmo que
bem pequenos, foi usado para reforçar a segurança. E Israel doou ao Brasil
tecnologia para criar o Centro Integrado de Comando e Controle usado para troca
de informações de inteligência entre órgãos federais e estaduais. Ou seja, por
um lado a parceria com Israel gera o medo de que o Brasil fique na mira de
extremistas, por outro poderia facilitar acordos de cooperação na área de defesa
e segurança interna. Por fim, relações internacionais. Se o governo Bolsonaro
confirmar a forte guinada nas relações com Israel e Oriente Médio, possivelmente
haverá mudanças no xadrez de organismos internacionais, como a ONU e a Organização
Mundial do Comércio. Nos últimos anos, o Brasil vinha se alinhando com países
latino-americanos, africanos e árabes em votações multilaterais, inclusive em
disputas comerciais internacionais importantes para o nosso país.
Agora, o Brasil poderá perder algumas dezenas de votos e ter que costurar
novas alianças. Por outro lado, o Brasil pode se aproveitar dessa proximidade com
os Estados Unidos para reivindicar apoio dos americanos no processo de ingresso
na OCDE, a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico.
A OCDE é uma entidade formada pelas maiores economias do mundo. Fazer parte
desse grupo funciona como uma chancela de credibilidade econômica. Enfim, se uma
coisa está clara nessa história, é que não existe uma resposta fácil nessa
discussão sobre os efeitos da aliança do Brasil com Israel. Há possíveis perdas e
ganhos em cada uma das três áreas que destaquei: economia, segurança e relações
internacionais Se você gostou desse vídeo, compartilhe e
assine o canal da BBC News Brasil no YouTube.
Se quiser mais informações, clica aqui na minha reportagem de texto colada aqui
na descrição do vídeo. Até mais

Author:

100 thoughts on “Embaixada em Jerusalém: O que Brasil pode ganhar e perder se aliando a Israel?”

  • Erick Freitas says:

    Que tão deixar como estar, Brasil lascado msm, pq NÃO pode fazer nada, por causa dos coitadinhos terroristas que mandam em nossa economia.
    Não basta os terroristas esquerdistas daki, tem outros de fora tbm.

  • Riedel Pedrosa says:

    NEM CRISTO CONSEGUIU ENTENDER DIREITO O PENSAMENTO JUDEU,MUITO MENOS O PROPRIO JUDEU.DOZE TRIBOS É MUITA CABEÇA PENSANTE. EU PENSO QUE O BOLSO DEVERIA PISAR SEU COTURNO COM CAUTELA NESSA TERRA COMPLICADA.

  • Adilson Claro says:

    Mas é tão claro, que não se sabe como Bolsonaro não vê que Cuba poderá passar a cobrir os 70% do açúcar que deixaremos de exportar para os árabes. Quanto à carne, os lideres religiosos Árabes já estão perdoando aqueles fiéis que comerem porco e assim vão importar porcos dos países socialistas Europeus. Só mesmo gente fraca e sem estudos como o staff do Bolsonaro pode fazer uma coisa dessas com a economia do Brasil!!!!!!?? Que pena!!!

  • Olá! Sou professor de filosofia e sociologia e estou recomendando o material audiovisual de vocês devido a capacidade de síntese e qualidade das fontes! Continuem com o ótimo trabalho. O Brasil é carente de um jornalismo mais enfático e menos fantasioso. Aqui, questões importantes são notas de rodapé e questões supérfluas são exageradamente "relevantes".

  • cpt gamer droid / says:

    Que vergonha Israel um país pequeno e com uma tecnologia muito mais avançada do que a do Brasil mais com essa parceria o Brasil ficaria muito mais forte militarmente e tecnológico

  • lenildo sobrinho says:

    A ONU coisa boa?? direitos humanos no Brasil, que é igual a direito de bandidos??? Nada bom.
    Israel é o único pais do oriente médio onde respeita as liberdades individuais, mulheres tem os mesmos direitos que homens e vc não é jogado de um prédio por ser gay. Eu fico do lado Humano, muda essa embaixada pra Jerusalém. O Brasil precisa ver o que é melhor para si. Os interesses de outros países devem vir em segundo plano. Querer agradar os outros não é uma boa opção.
    colei algumas opiniões muito boas e verdadeiras.
    O passado é passado, e o presente e futuro se faz agora. Lembrem se o país até o presente momento estava nas mãos de pessoas que fazia ligações com países comunistas e outros onde os direitos humanos não são respeitados. Agora o Brasil posso dizer, está acordando. … para melhor.

  • lenildo sobrinho says:

    Sinceramente! Isso é como expor um ponto de vista ESQUEDISTA… de que está errado … mais uma ideologia … Quem sabe a representante da BBC vai falar também sobre o aquecimento global que pode torrar todos nós nos próximos 10 anos!!!! GIVE ME A BREAK!

  • Nooriel Aboab says:

    Cairo- Asharq Al-Awsat
    A Câmara de Comércio Árabe Brasileira (ABCC) revelou que o Brasil importou US $ 7,6 bilhões do mundo árabe em 2018, registrando um crescimento ano a ano de 18% nas importações, de US $ 6,4 bilhões em 2017, somando 17,6 bilhões de kg de mercadorias em termos de volume.
    As exportações para o Brasil dos Emirados Árabes Unidos subiram para US $ 561 milhões, ante US $ 186 milhões no ano passado, registrando um impressionante crescimento anual de 200%.
    As exportações da Arábia Saudita para o Brasil representaram US $ 2,3 bilhões, um aumento de 23% em relação a 2017, enquanto as exportações do Egito, Kuwait, Omã e Bahrein ficaram em US $ 269 milhões, US $ 212 milhões, US $ 124 milhões e US $ 116 milhões, respectivamente, para o Brasil em 2018 Em termos de volume, esses países árabes exportaram bens no valor de 1,14 bilhão de kg, 622 milhões de quilos, 391 milhões de quilos e 280 milhões de quilos, respectivamente.

    Os itens mais exportados para o Brasil dos países árabes incluem combustíveis minerais, óleos minerais, substâncias betuminosas e ceras minerais; fertilizantes; plástico; sal, enxofre; pedra; gesso, cal e cimento; produtos químicos orgânicos, peixes, crustáceos e moluscos, outros invertebrados aquáticos, vegetais, frutas, vidro e vidro.

    O presidente da ABCC Rubens Hannun disse: “Os números de 2018 mais uma vez refletem o sucesso dos esforços da ABCC para fortalecer os laços comerciais existentes entre o Brasil e os países árabes.

    "Graças ao compromisso compartilhado de ambas as partes, os produtos dos países árabes continuam encontrando novos mercados no Brasil e esperamos que esses números aumentem ainda mais em 2019", acrescentou.

  • Nooriel Aboab says:

    As relações comerciais do Brasil com o Oriente Médio atingiram novos patamares em 2017, registrando um crescimento ano a ano de 18,43% nas exportações de US $ 11,5 bilhões em 2016 para 13,6 bilhões em 2017 e 23,37% em importações de US $ 5,2 bilhões em 2016 para 6,4 bilhões em 2017.
    Os números foram divulgados pela Câmara de Comércio Árabe Brasileira (ABCC).
    As exportações brasileiras para a Arábia Saudita somaram US $ 2,6 bilhões, alta de 6,9% em relação a 2016, enquanto as exportações para os Emirados Árabes Unidos somaram US $ 2,5 bilhões, alta de 12,2% em relação ao ano anterior. Omã, Bahrein e Kuwait receberam bens brasileiros no valor de US $ 695 milhões, US $ 339 milhões e US $ 222 milhões, respectivamente, em 2017.
    Em 2017, as exportações da Arábia Saudita para o Brasil somaram US $ 1,9 bilhão, um aumento de 44,72% em relação a 2016, enquanto os Emirados Árabes Unidos exportaram bens no valor de US $ 186 milhões. As exportações de Omã, Bahrein e Kuwait para o Brasil somaram US $ 138 milhões, US $ 94 milhões e US $ 135 milhões, respectivamente.

    Os itens brasileiros mais exportados para os países árabes em 2017 foram açúcar de cana ou beterraba e sacarose quimicamente pura em forma sólida; carnes e miudezas comestíveis de aves frescas e congeladas; minérios e concentrados de ferro, incluindo pirites de ferro torrado; milho; carne de bovino; corindo artificial, óxido de alumínio e hidróxido de alumínio; e automóveis e outros veículos a motor principalmente concebidos para o transporte de passageiros.

    Os itens mais importados para o Brasil dos países árabes, por outro lado, incluem combustíveis minerais, óleos minerais, substâncias betuminosas e ceras minerais; fertilizantes; plástico; sal e enxofre; terra e pedra; gesso, cal e cimento; produtos químicos orgânicos; e peixes, crustáceos e moluscos.

    O presidente da Câmara de Comércio Árabe-Brasileira, Rubens Hannun, disse: “O Brasil e o mundo árabe sempre mantiveram grandes relações comerciais e os números de importação e exportação para 2017 refletem crescimento ininterrupto. Esperamos que a tendência continue até 2018 e além, tendo como ponto alto o sucesso trazido pelo compromisso compartilhado de ambas as partes de incentivar relações comerciais mais produtivas ”.

  • Nooriel Aboab says:

    DE 10 MULHERES QUE SE CASA 4 SAO MORTAS PELO MARIDO (BIGAMIA E' LEGAL) OU FAMILIARES DO MARIDO e Outra 6 abusadas frequentemente.
    A relação entre o Islã e a violência doméstica é contestada. Mesmo entre os muçulmanos, os usos e interpretações da sharia, o código moral e a lei religiosa do Islã, não têm consenso.
    Interpretações conservadoras da Surata An-Nisa, 34 no Alcorão sobre relacionamentos conjugais, acham que bater em uma mulher é permitido. Outras interpretações do verso afirmam que ele não apóia bater em uma mulher, mas se separar dela. Variações na interpretação são devidas a diferentes escolas de jurisprudência islâmica, histórias e políticas de instituições religiosas, conversões, reformas e educação.
    Violência doméstica entre a comunidade muçulmana é considerada uma questão complicada de direitos humanos devido a variados recursos legais para mulheres pelas nações onde vivem, até que ponto têm apoio ou oportunidades para se divorciar de seus maridos, estigma cultural para ocultar evidências de abuso e incapacidade de ter o abuso reconhecido pela polícia ou pelo sistema judicial em algumas nações muçulmanas.

  • Ari Damasceno says:

    Pra quem era um anão diplomático, e agora já está incomodando muita gente,tá bom demais . teremos nossa embaixada em Jerusalém.

  • #bolsonaro17 fora comunistas . says:

    O Brasil está se aproximando de Israel, e se os árabes não quiserem comprar nossas carnes vão morrer de fome, pois Deus vai abrir as janelas do céu e derramar bênçãos aqui .

  • Reinaldo Nagata says:

    Este bolsonaro é mesmo impressionante, vai comprar tecnologia de Israel, tecnologia de irrigação, fala sério, quem precisa de tecnologia para irrigação!
    Se fosse tecnologia para fazer chover, mesmo assim não vejo vantagem, o Brasil tem tudo que precisa, falta apenas investimentos em equipamentos que o Brasil mesmo produz.

  • Sola Escriptura says:

    A pergunta é: O que o Brasil ganhou se aliando aos árabes e virando as costas aos judeus? Até onde eu sei, o Brasil nunca se beneficiou de nada, sempre foi um país lascado.

  • A transferência da embaixada para Jerusalém vai ser entendida como um não reconhecimento das reinvindicações Sírias e Palestinas.

  • Jarlan Fontes Santos says:

    Bolsonaro sem sombras de dúvidas é uma praga lançada pelos os evangélicos ao Brasil #BolsonaroCâncer!!!!!

  • Rute lemes da silva says:

    Independentemente do Brasil mudar a embaixada ou não, o conflito entre Israel e a Palestina nunca irá ter fim, pois o que o mundo árabe quer mesmo é aniquilar Israel e isso eles jamais conseguirão. Essa guerra é antiga, desde que Israel saiu do Egito e foi tomar posse da terra que o senhor Deus havia dado para eles. ( Os Palestinos são os Philisteus da Bíblia ou seja Filisteus) Que depois de muito tempo mudou para Palestina.

  • Isaac Almeida says:

    Brasil , 80% a 90% querem em Jerusalém, que se explode mundo árabe, quem precisa de nos são eles, sou mais a palavra de Deus.

  • Daniel Salotto says:

    Eu sou a favor desta aliança entre brasil e israel e os outros países é que vão perder por ficar contra

  • AULAS J.E.S INSTRUMENTOS says:

    GOVERNO ESTA COLOCANDO OS MORADORES DO BRASIL PARA SER ABATIDO PARA SERMOS MORTOS COM ESSAS ATITUDES SATANICAS DE SE ENVOLVER RM UNIAO UNIFROMICA COM OUTROS PAÍSES

  • o proprio Deus altissimo disse a respeito de israel(abencoarei aos que te abencoarem amaldicorei aos que te amaldicoarem)por isso o brasil nao deve ter medo ou receio de nada o senhor cumpre aquilo que fala.

  • Janete Buzzi Chavez says:

    O Brasil produz melão com tecnologia espanhola empresa Bollo Internacional desde 2005 ,proprietário Sr. José Vercher de Tavernes de Valdigna, da comunidade Valenciana, que conheço pessoalmente desde o início da implamentaçãp da empresa Bollo do Brasil no estado de Mossoro http://www.bollobrasil.com/index_es.php. Bollo Internacional abastece toda europa e o Brasil portanto já existe tecnologia europeia para produzir Melão sem precisar importar de Israel e buscar um problema comercial com o mercado importador árabe.

  • Ed Alves Alves says:

    O Brasil e os brasileiros, só tem a ganhar. É melhor perder a exportação q o país faz para os árabes, do q perder a transposição do rio São Francisco q pode levar água pra todo o nordeste. Isso, tudo, sem falar na tecnologia q o Brasil terá com essa aliança e, a transferência da embaixada do Brasil de tel vive, para a verdadeira capital de Israel q, é a antiga cidade de Jerusalém. A cidade q Deus usando o rei Davi, conquistou para os judeus. Agora, muita gente, ñ sabe disso, e, fica tomando decisões contrárias, inclusive, a esquerda q sempre foi a favor do terrorismo. Aliás, ajudou a promover o terrorismo. Portanto, sou totalmente a favor dessas alianças, tonto com Israel, como com os EUA, como tbm com a transferência da embaixada do Brasil de tel avive pra Jerusalém.

  • Valdinei Vieira says:

    O Brasil vai viver tempos de prosperidade por causa da aliança com Israel. Quer saber mais leia Gênesis capítulo 12. E quer saber se as promessas de Deus são cumpridas leia para a história!

  • Clelia Regina de Carvalho Camargo says:

    quando a explicação dos pontos positivos das relações econômicas , de segurança, geopolíticas são dadas com maior tempo e com maior enfase do que com que o Brasil tem a perder, pode crer que é tendenciosa. Ninguém é mais ingenuo de saber que o que move aquela região é o ouro negro e todas as polemicas de relações internacionais no mundo, está por trás o petróleo… carne, tecnologia são paliativos! tinha me inscrito no canal pra me manter informada mas vou cancelar… quero jornalismo imparcial!

  • Parabéns pela reportagem Nathalia. Espero que a CGTN ou a RT te contratem, ambas são muito melhores e imparciais do que a BBC.
    Quanto à posição do Pres. Bolsonaro tanto na visita a Israel qto EUA ele só fez bobagem, demonstrando muita ingenuidade em geoeconomia e geopolítica. O Brasil sob Bolsonaro está se tornando um vassalo dos EUA e Israel, uma lástima que só trará prejuizos ao Brasil.

  • constantino arnaldo clemente says:

    Tem que colocar a embaixada em Jerusalém….e fim de papo é uma decisão soberana, de cada nação.

  • José Vicente Lima Silva says:

    O Brasil não tem nada a ver com isso nos queremos paz mas o Bolsonaro e os filhos dele querem.guerras Israel e um país sionista igual aos 🐷 americanos nos temos que resolver os problemas no nosso país gerar empregos e fora Bolsonaro Israel não dá nada a ninguém eles só roubam

  • Claudinei Jesus says:

    O que precisa o Brasil é dar uma corrida Olímpica na área comercial e contruir relações comerciais que sejam independentes das esferas políticas e se a economia brasileira estivesse estabilizada e a segurança com relações a inimigos as coisas seria mais facil o multilateralismo pelo qual o Brasil vinha crescendo não tinha plano de proteção e economia tem que ser independente tem que ter força e isso é muito importante. Agora relações diplomáticas serem abaladas por causa de relações comerciais é sinal de que o presidente Bolsonaro precisa e muito conversar com muitos paises.

  • alan dos santos says:

    Nosso país é maior exportador de varios produtos..não precisamos agradar Israel para ser parceiro comercial.somente vejo interesse político na área da segurança nad mais .

  • Elivelton Batista says:

    Eu tô achando que o presidente tá se metendo demais aonde Não é para ele se meter daqui a pouco ele vai acabar tirando a nossa paz pela ignorância dele O que tem haver Israel com o nosso país não sabendo ele que vai causar problemas com outros países os pais arabe ele tem nada de futucar m** dos outros deixa que tá quieto no lugar daqui a pouco vai acabar trazendo até guerra fome e Miséria para o nosso país porque da ignorância dele nem um presidente brasileiro se pôs na saudade de fazer o que ele tá fazendo futucando um problema para o nosso país

  • Bianca Legora says:

    Até onde consegui aferir com os muslins que conheci, eles NÃO querem 2 Estados, quem aceita 2 Estados é Israel. Todos os países onde o islamismo governa, desejam que Israel vire poeira no solo.

  • PHOENIX 14 57 28 says:

    BOLSONARO JA ESTÁ DESISTINDO DA IDEIA DE TRANSFERIR PARA JERUSALEM O CORPO DIPLOMATICO ,O AGRO NEGOCIO BRASILEIRO DEPENDE DOS PAISES ARABES ,ISRAEL NAO REPRESENTA NADA NA BALANCA COMERCIAL DO BRASIL. E TRUMP QUER FAZER UM GRANDE ACORDO DE PAZ ENTRE ISRAEL COM PALESTINA E SABE QUE ESTA VIA VAI LEVAR AO FRACASSO ,PORTANTO ELE TAMBEM JA ESTA REPENSANDO . Alem do MAIS Netanyahu ja É UM cadáver político com varias acusación de corrupcao junto con sua familia que ja está transferindo para Nova Zelandia para tentar escapar da justica porem ele nao escapa ,informes da MOSSAD e inqueritos da policía israelí mostram que ele nao Vai CUMPRIR seu quinto mandato embora re-eleito , e esse tambem É UM dos motivos pelo qual os dois mandatarios estao repensando sobre dar apoio a Netanyahu ou nao . A NAO SER PELO PODER DE SATAN/LUCIFER PAI DA MENTIRA E COMO EMPREGADO DOS ROTSCHILD COMO MACRON , NETANYAHU GANHA AS PROXIMAS ELEICOES . NINGUEM EM PLENO JUIZO EM ISRAEL QUER UM IMPERADOR VITALICIO.

  • Wilson Gomes Vieira says:

    na realidade, os islâmicos, não querem uma parte de jeruzalém,eles que tudo, e, elimeinar de uma vez por todas os cristãos daquela região, isto esta no livro deles, não podemos deixar isto acontecer.———————-wilson–niterói-rj

  • Quanto equivoco heim ,esse povo terrorista esta querendo exterminar o povo judeu, não querem paz e nem dividir a terra na qual são INTRUSOS ,estão dominando o mundo com suas ameaças e transformando jovens e crianças em verdadeiros 'poços' de ódio prontos para matar. A ONU é uma controladora que muito em breve vai revelar sua face maléfica para o mundo .

  • A retorica esta cheia de falsas informacoes. Lastima. O Brasil poderia progresar e muito, se entrar para o grupo democratico das nacoes, e deixar o grupo arabe-terrorista-islamico.

  • Márcio Lourenço says:

    radicais islâmicos batendo de frente cm brasileiros é ruim pra eles !!! normalmente são eles q/ começam hostilidades vai dá merda !!! só por causa de uma embaixada, é se expor à toa + tomará q/ não haja hostilidades .

  • Barbosa Taide Teive says:

    A maioria dos judeus vive nos EUA, não em Israel e o Brasil, só de libaneses, tem três vezes a população do Líbano, além de o Brasil esteve à frente da sessão da da ONU que decidiu a partilha da Palestina e do status de Jerusalém como cidade internacional. O Brasil está à frente da UNIFIL, no Líbano, terra do Hezbollah, o mesmo do atentado na AMIA , na Argentina em 1994, que resultou em 85 mortos, grupo o qual a família do presidente já hostilizou e recebeu resposta. O Brasil já é parceiro comercial e na área de defesa de Israel, é guerer fazer crer que o Paraguai, Ilhas Marshal e Guatemala estaria pensando em transferência tecnológica ou comercial e a grande referência seria plantar melões no vale do São Francisco. Lembrando que o presidente chegou a ser batizado no Rio Jordão, quando deputado, embora se diga católico, pelo presidente do PSC, na busca de uma indicação para concorrer à presidência.

    Leandro Beltrão

  • Ivaldo Dionisio says:

    Parceria com Israel é estar ao lado de Deus. Israel se mantem de pé ao lado de verdadeiroa abutres. Olha o que lula ganhou ser contra israel kkkkk e aquela insignificancia da Dilma…..

  • Alex Nascimento says:

    O Brasil tem que firmar sim alianças com Israel e deixa que a maldita ONU e os muçulmanos se explodam. São tudo farinha do mesmo saco. ONU e muçulmanos=Terroristas malditos!!!

  • Não tem nem o que discutir.
    Biblicamente falando todo território de de Jerusalém pertence ao povo judeu. Os palestinos são intrusos. Se aproveitaram que o povo Judeus estavam sendo caçados pelos nazistas e tomaram pose do território de Jerusalém.
    Como falei a princípio
    Biblicamente essas terras foram dada como promessas a descendência de Abraão pelo próprio Deus Criador.

  • Rodrigo A. Santos says:

    Cristão que acredita que uma cidade seja sagrada nunca compreendeu Jesus, o reino de Deus não é deste mundo!

    Jerusalém é a terra do "Deus" dos exércitos!

  • CINECLUBE GIGOIA says:

    Que vergonha,

    Isso ficará marcado para sempre na história tão sofrida de nosso povo.

    Vocês, Judeus retrógrados e conservadores, devem entender que vocês NÃO REPRESENTAM ISRAEL nem toda a Comunidade Judaica. Não lhes concedo este direito.
    O dia em que o NAZISTA (pelos pensamentos, a questão com Israel é puramente comercial) foi recebido por judeus tristes e cegos.

    O que os judeus nâo progressistas não enxergam é que se tivéssemos nascidos negros ou indígenas neste país iríamos sofrer discriminação, assim como nossos antepassados perseguidos na 2a. guerra e em tantos episódios da História Mundial.

    Ainda bem que uma parcela considerável da Comunidade Judaica tem um pensamento Revolucionário e Progressista – eu faço parte deste time!

    O resto, coitados…. que sejam sempre restos…

  • ENGRAÇADO… . QUANDO LULA/DILMA/PT ESTAVAM NO PODER ROUBANDO E QUEBRANDO ECONOMICA E SOCIALMENTE O BRASIL, NÃO HAVIA TANTAS CRÍTICAS E ANÁLISES ASSIM DE TUDO QUE FAZIAM. SUSPEITO, NÃO? O JORNALISMO BRASILEIRO IMPARCIAL EXISTE?? POR QUE NÃO FAZIAM TANTA ANÁLISE ASSIM QUANDO COMUNISTAS CORRUPTOS ESTAVAM NO PODER? PENSEM… E DESCOBRIRÃO A VERDADE. LAMENTÁVEL!!

  • Tem gente aí que preferiria se aliar com a China do que com os EUA. Mas pensa na burrice deles de estarem falando isso kjkkkk

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *