Doria critica reeleição e diz que há 99% de chance de F1 não sair de São Paulo

Doria critica reeleição e diz que há 99% de chance de F1 não sair de São Paulo


Governador, obrigada por atender a BBC.
O senhor veio aqui pra Londres para uma rodada de reunião em busca de investimento,
parceria, que o senhor já falou e o Brasil está num momento delicado. Como
é que o senhor vende a imagem do Brasil com o nível de investimento do jeito que
está, com o crescimento do jeito que está e
com essa promessa há muito tempo de o país aprovar uma uma reforma da Previdência? Bem, na qualidade do governador de SP a minha prioridade é vender São Paulo, a imagem de São Paulo novos investimentos em São Paulo e obviamente
São Paulo no contexto do Brasil São Paulo tem uma imagem boa aqui na
Inglaterra dado o fato de que, ao longo dos últimos
mais de 100 anos, investimentos britânicos se consolidaram em São Paulo. E no âmbito
do Brasil, o fato de estarmos na iminência da aprovação da reforma da
Previdência gerou um sentimento, pelo menos dos investidores com os quais
falamos até agora, positivo em relação às perspectivas do Brasil E o senhor vem defendendo, junto com a necessidade de fazer uma reforma da Previdência, que
os estados e municípios estejam contidos nessa nessa proposta, que não é
o que está exatamente tramitando, chegando é o plenário da Câmara hoje.
Essa reforma que o senhor espera, que disse que em setembro vai estar
aprovada, ela terá estados e municípios ou, como o senhor falou antes, o próximo
presidente vai ter que fazer uma nova reforma, na avaliação do senhor? Laís, eu espero que sim. 22 dos 27 governadores são favoráveis à inclusão
de estados e municípios, já declararam isso. Apenas 5 manifestaram posições
contrárias, mas eu diria até não definitivamente contrárias.
Desejam que negociações possam ser feitas, com o objetivo de melhorar as condições
fiscais e dívidas que seus estados têm com o governo federal, para que possam
traduzir os votos no plenário, tanto na Câmara quanto no Senado. Eu ainda tenho a
esperança de que estados e municípios possam ser incluídos agora no
Senado, no plenário, para que a reforma da Previdência seja completa, como eu tenho
mencionado. Ela sendo completa ela será mais duradoura,
não será uma reforma para cinco anos e sim uma reforma para
10 a 20 anos E depois de seis meses do novo governo, do novo presidente Jair Bolsonaro, o senhor está aqui fora, o senhor acha que a imagem que se tem do
Brasil fora dele, no exterior, melhorou ou piorou? Laís, eu prefiro não fazer
avaliações sobre o governo Bolsonaro, principalmente sob o
prisma europeu. A Europa tem um sentimento em relação ao presidente
Bolsonaro que talvez não seja o mesmo em relação a outras regiões do planeta. Eu prefiro acreditar que o Brasil possa melhorar, que, com a reforma da
Previdência, possamos gerar emprego, gerar oportunidades, valorizar o
empreendedorismo e fazer a nossa tarefa que é governar bem São Paulo. São Paulo tem
32% da economia brasileira 45 milhões de brasileiros vivem ali.
A nossa obrigação, o nosso foco é fortalecer São Paulo, integrando ao
Brasil e garantir que esses novos investimentos, e essa é justificativa para
estarmos aqui em Londres, possam se traduzir o mais breve possível em mais
empregos para os que vivem em São Paulo Só pra voltar, que não ficou claro, de
que forma que a senhor acha que a Europa vê o Brasil, o presidente
Bolsonaro, diferente de outros? Eu acompanho bem os veículos de
comunicação aqui da Europa e vejo muitas vezes posições duras em relação ao
Brasil e ao governo brasileiro. Mas são posições que, a meu
ver, podem melhorar diante de bons exemplos e de boas sinalizações que o
país, sobretudo agora, diante da perspectiva da reforma da Previdência,
poderá sinalizar E aqui fora a gente vê uma preocupação muito grande com a questão climática, ambiental E, com a Amazônia, claro que o Brasil está no
centro dessas dessas discussões O senhor concorda com a política que o governo federal está fazendo em relação ao meio ambiente? Laís, eu de novo prefiro não fazer juízos sobre o governo federal,
mas quero ressaltar que, no caso de São Paulo especificamente, nós respeitamos
todos os protocolos ambientais e respeitamos também os
entendimentos sugeridos, recomendados pela ONU.
Temos uma estrutura bastante robusta na área ambiental, através de uma agência
chamada Cetesb, uma secretaria que mantém o entendimento de que a proteção
ambiental é necessária, é fundamental, pode ser harmonizada com o
crescimento, o desenvolvimento, mas não à revelia da obediência à lei,
principalmente no sentimento de que nós precisamos proteger o meio ambiente e
respeitar o planeta O presidente, só pra acabar esse assunto
de meio ambiente, o presidente Jair Bolsonaro falou “que o brasil é a virgem que
todo o tarado quer” quando ele estava falando sobre esse assunto. O senhor
concorda, considera essa comparação apropriada? Laís, eu
sempre evito fazer julgamentos, mas eu diria que talvez não tenha sido a
melhor frase. Mas é uma posição que o Brasil deve ser respeitado exatamente
pela dimensão das suas florestas, das suas reservas ambientais e de uma consciência ambiental que precisa ser expandida e precisa ser harmonizada O senhor
pretende se candidatar à Presidência? Eu pretendo ser um bom governador de São
Paulo, essa é minha responsabilidade Acabamos de sair de uma eleição, é hora
de gestão, não é hora de eleição O senhor já falou várias vezes que é hora
de focar na gestão, mas o atual presidente, que tem um país inteiro para governar, já
falou em reeleição e em entregar o país em 2026, pro sucessor dele. Ele está
sem foco na gestão? No nosso caso, eu respondo por mim, pelo estado de São Paulo, é fazer gestão e foco exclusivo na gestão e no bom governo. E quero
ressaltar também que eu pessoalmente, não é um fato novo, sempre fui contra a
reeleição. A reeleição no Brasil não é uma boa referência.
Todos os governadores e presidentes que foram reeleitos não cumpriram, no seu
segundo mandato, uma tarefa melhor do que cumpriram no seu primeiro mandato.
A instituição da reeleição é legítima, é democrática.
Mas no Brasil ela não costuma funcionar bem Governador, o Datafolha mostrou que a maioria dos entrevistados reprova a
conduta do ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, nos
diálogos que foram divulgados. Com o que já saiu até agora, como o senhor avalia a
postura do ex-juiz? Vai continuar a apoiá-lo? Sergio Moro tem o meu apoio,
seja como ministro da Justiça, e está sendo um bom ministro da Justiça, seja também
por aquilo que ele realizou como juiz federal.
O Brasil não teria realizado a operação Lava Jato com a eficiência, com a
prudência e com a isenção com que realizou, não só no trabalho do juiz
Sergio Moro, mas também de outros juízes, desembargadores, promotores, policiais
federais, que ao longo dos últimos cinco a seis anos conseguiram dar um exemplo
para o mundo de que era possível identificar aqueles que fizeram gestões
criminosas com o dinheiro público no plano federal, no plano estadual a no plano de
estatais Investigaram também empresas que incorreram também na mesma falha de aceitarem pedidos de propina, portanto
empresas que também se envolveram na corrupção. Eu tenho um grande respeito
pelo ministro e pelo ex-juiz Sergio Moro E acho que, se algum erro foi cometido,
isso ainda precisa ser apurado dado que até o presente momento o
vazamento desses áudios não são legais e não são amparados em lei,
entendo que, mesmo assim, o benefício daquilo que foi feito pela operação Lava
Jato para salvar o Brasil da corrupção e de uma extensa, de um extenso período que
prejudicou milhões de brasileiros e assaltou dos cofres
públicos mais de 250 bilhões, faz com que eu mantenha o meu respeito por
Sergio Moro Mesmo que os diálogos, o senhor está falando que não estão confirmados, mesmo que eles sejam reais o senhor acha
que valeu a pena? Na minha visão, sim. Repito, eles não estão
amparados legalmente, é preciso que essa investigação prossiga e é natural que
ela prossiga, mas, mesmo assim, essa é uma opinião
pessoal, não é opinião de partido, mas uma opinião minha e eu não deixo de apoiar
Sergio Moro O senhor usou a palavra “isenção”.
O senhor acha que o ex-juiz Sergio Moro foi isento? Na defesa do justo, do
correto, sim Nesses seis primeiros meses de governo, uma crítica
muito recorrente foi a relação do novo governo, que mencionou muito o termo
velha política, com o Congresso nacional O senhor acha que foi ruim essa
relação, que eles não conseguiram chegar aonde queriam? Vocês se refere do governo federal com o Congresso Entendo que poderia ter sido melhor, Laís, mas de qualquer forma houve um
entendimento e esse entendimento está resultando na aprovação da reforma da
Previdência nas próximas semanas Acredito também que tudo é um aprendizado.
Com um governo novo, de um partido novo, cujo traquejo vem sendo feito no working in progress, ou seja durante a própria navegação deste governo vêm sendo feitos
os reparos necessários para que essa navegação possa ser mais tranquila e
garantir um futuro melhor para o Brasil Vejo um esforço, capitaneado pelo
ministro da economia, Paulo Guedes, para que essa relação seja boa, seja frutífera e
seja respeitosa . E é o que eu defendo Eu acredito que o Brasil precisa de paz,
harmonia e diálogo, seja com o poder legislativo, seja com o poder judiciário E o PSL, partido do presidente, o senhor acha que está ajudando nessa navegação ou atrapalhando? Também está na fase do aprendizado.
Eu destaco o nome que você falou agora há pouco, que é da deputada Joyce
Hasselman, que vem sendo a meu ver brilhante na conduta do seu trabalho
como líder na Câmara federal Acho que é um bom exemplo para que o
partido possa seguir evitando conflitos internos e apoiando as políticas
públicas do presidente Bolsonaro. Mais paz no PSL vai ajudar o governo a viver em
paz também Sobre Fórmula 1, o presidente Jair Bolsonaro falou que tem 99% de chance do gp ir pro Rio de Janeiro Eu queria saber como é que o senhor
vai transformar esse 1% em realidade? Primeiro, o presidente creio que tenha sido
mal informado. Ele, como uma pessoa de bem e com o melhor das intenções,
ele é paulista, mas sua residência foi durante muitos anos muitos anos no Rio
de Janeiro, acreditou num conjunto de informações
que talvez não tenha sido fundamentadas como deveriam ser.
Eu lamento ter que dizer que 99% de possibilidades da Fórmula 1 não sair de
São Paulo. É exatamente o oposto. Eu não quero contrariar o presidente Bolsonaro nem o governador do Rio de jJneiro nem o prefeito da cidade do Rio de
Janeiro, são pessoas que eu gosto e com as quais convivo. E gosto muito do Rio de
Janeiro também, onde eu vivi parte da minha vida e onde eu conheci a minha esposa.
Mas o Rio tem vocação ou possibilidade, condições para abrigar outros eventos, na
música, na cultura, na própria atividade esportiva, sem ter que mobilizar 1 bilhão
de reais de investimento para fazer um autódromo, para depois se credenciar a
buscar a Fórmula 1. Creio que o Rio tem bons exemplos, como o Rock in Rio, onde
investimentos produzem emprego, produzem oportunidade, entretenimento saudável, enricam a economia do Rio de Janeiro, valorizam o seu turismo dentro de
propostas realistas Não me parece real buscar um bilhão de
reais de investimentos para fazer um autódromo onde hoje há apenas um
charco e natureza, com o objetivo de levar a Fórmula 1 de São Paulo para o Rio de Janeiro. Respeitosamente, a Fórmula 1 não vai sair do São Paulo De que forma que o Brexit afetou as conversas de vocês aqui? O senhor
avalia que tem mais espaço para o Brasil, menos espaço, como é que fica? Vamos aguardar para verificar no âmbito desta mudança de governo como este
tema será tratado, para que nós possamos intensificar a nossa política de
exportação. Mesmo assim, o resultado inicial desse entendimentos que estamos
fazendo aqui em Londres tem mostrado boas perspectivas para a exportação de
produtos manufaturados e sobretudo do agribusiness de São Paulo para a Grã-Bretanha. E o nosso maior objetivo, que é levar novos investimentos para o mercado
de São Paulo, em óleo, gás, infraestrutura, na privatização de rodovias, ferrovias,
hidrovia Tietê-Paraná, o porto de São Sebastião,
o programa metroviário e também as outras áreas que serão concedidas ao
setor privado em São Paulo Em uma coisa a mais, o senhor gostou quando perguntaram se o senhor estava fazendo um ensaio para visita de chefe de Estado, lá em cima… Eu não gostei, apenas disse que não aprovei Apenas disse que vim e eu estou aqui na
condição de governador do estado de São Paulo, que é um estado-nação, com 45 milhões
de habitantes, 32% da economia brasileira É um estado que isoladamente é maior do
que a Argentina, Colômbia, Peru, Chile Não desmerecendo esses países, mas mostra
a importância econômica, geográfica e populacional de São Paulo no contexto
latino-americano Obrigada, governador

Author:

100 thoughts on “Doria critica reeleição e diz que há 99% de chance de F1 não sair de São Paulo”

  • Para lembrar que não dá pra confiar em Doria.
    Vou ficar como prefeito de São Paulo até o final do mandato…
    Tradução:Vou ser governador de São Paulo
    MORO não me misturo a política, meu negócio é ser juiz
    Tradução:Vou me misturar a política e entrar no governo
    BOLSONARO Diz ser contra Privatizações
    Tradução é a favor anos depois
    BOLSONARO Diz ser contra REFORMA da Previdência de Temer
    Tradução:A dele é pior
    Esses mencionados são Bipolares na política e talvez pode se corromper não confio.

  • Na questão Doria sem comentários.
    Na questão da REELEIÇÃO na minha opinião o mais correto seria o fim de reeleição para o executivo como para o legislativo.

  • Não vou ouvir este canalha, mas claro que já está de olho no Planalto. Já está dizendo que não vai concorrer de novo a SP e Bozo não deveria ser concorrente dele.

  • Alexander Rocha says:

    Na boa qual o motivo de entrevistar o governador de São Paulo sobre o governo federal. Eu queria saber sobre ele representando São Paulo.

  • Raphael dos Santos says:

    Doria lançou o Bolsodoria para se candidatar e agora não quer falar do governo, esse realmente usa as pessoas sem dó e tem uma postura mais maleável do que chiclete mascado

  • Nazi Fascist Reich says:

    Isso é um canalha neoliberal que tá pensando em 2022. Vai ser o candidato da elite e terá apoio da mídia!

  • Steffany Kathlen says:

    E CLARO QUE ELE NÃO VAI DIZER QUE É O PIOR PRESIDENTE? ??O PIOR PRESIDENTE DO MUNDO BOLSONARO TRAIU OS SEUS ELEITORES, FALOU QUE NÃO IA MEXER COM TRABALHADORES E OS MENOS FAVORECIDOS, TUDO QUE BOLSONARO FALA, E SÓ TEORIA, PORQUE ELE FAZ DO JEITO QUE ELE QUER, NAS PRÓXIMAS ELEIÇÕES, OS BRASILEIROS VÃO DAR A RESPOSTA, INPITIMA PARA CORRUPTOS, SHALON BHARUK RASHEN

  • Parem de jogar um contra o outro e perguntem de SÃO PAULO, ele é Governador, ô Cathy Newman… Essas coberturas e entrevistas da BBC Brasil estão muito amadoras.

  • Geyzon Amaral says:

    Que cara fujão! Se o governo fosse de oposição dele, a jornalista não precisava nem terminar a pergunta e ele já iria descer a madeira só por descer mesmo! Mas, com problemas escancarados do atual governo, ele sempre prefere não se manifestar! Isso é o medo da autocrítica que tanto cobraram do governo do PT.

  • Willian_Hawaii says:

    Fala que sao paulo é a maior potência mas quem precisa do transporte público tem q esperar quase 40 min pra pegar um trem na estação. Vergonha alheia,.. Trabalhador de verdade se lasca pra sustentar suas mordomia senho governador …

  • Gemilsom Marques says:

    Será q Doria não percebeu q o interesse da jornalista não é ele nem o governo de estado de São Paulo, ele perdeu a oportunidade de corta o assunto e tentar se promover, até agora o centro das atenções da entrevista é Bolsonaro e não Doria e seu governo.

  • FRANCISCO TRENTINI says:

    Ah, Doria. Reeleição não dá certo? Só porque você deseja ser presidente? O teu interesse é acima dos interesses da nação? Eu não estou defendendo a reeleição, mas diante de seus anseios, considero inapropriada a sua opinião. O Sr veio com o codinome de gestor e convenceu os eleitores na sua primeira eleição. Confesso que fiquei entusiasmado com o início da sua gestão no primeiro ano. Já no seu segundo ano de mandato, o Sr fez uma digestão das coisas públicas. Seu olhar era para a governança de São Paulo. A prefeitura? Fo..-se! Nas últimas eleições para governador, novamente eu tive que votar por exclusão, ou seja, no menos ruim. E votei no senhor. Sua passagem pela prefeitura foi dramática. Foi de digestor. Seu sucessor, o jovem Bruno Covas Crateras Buracos continuador da sua gestão, vocês dois juntos, deixaram covas crateras e buracos nas ruas de São Paulo. Haja suspensão! Um desafiopara a indústria automobilística. E o Sr, governador não se sente envergonhado com o esgoto à céu aberto que em São Paulo têm nomes de rios? O “suave" odor de esgoto que emana destes rios e dos córregos de São Paulo, inebria; e os nomes dos governadores de seu partido, o PSDB vêm à minha memória e eu não posso deixar de comparar o material causador do mau cheiro com os políticos em geral e vejo uma grande identificação entre ambos. Se o seu nervo olfativo estiver funcionando normalmente, não creio que sua candidatura mereça meu voto novamente. Nem para sídico de prédio. O palácio dos Bandeirantes está blindado aos odores do “rio” Pinheiros?
    A sua vocação não me parece de gestor, ao contrário. Seu histórico em São Paulo é típico de político macaco velho. Por não ser ano eleitoral, ( esta é uma aberração moral. É um conceito existente no Brasil e largamente aplicado pos vossas Senhorias, os políticos do PSDB) as obras prometidas para a copa do Brasil, refiro-me ao metro para Cumbica somente foram entregues no ano passado, ano eleitoral e INACABADAS. Um chute nas bolsas escrotais dos cidadãos paulistanos. Promessa de entrega antes dos 7×1. Aqui em Sampa, as coisas de gestão acontecem somente de 4 em 4 anos( ano eleitoral). São Paulo está parada. As obras do metro na Av Roberto Marinho estão desertas. Somente serão reativadas no ano que antecederá suas pretenções à eleição presidencial? Teremos que esperar ainda mais tres anos? Muito bom gestor. Sem dúvidas. Gestror de sua trajetória política, isto sim…

  • Robson Gomes says:

    João Doria, um marqueteiro perigoso. Vários projetos furados e sem conclusão. Asfalto Novo – Marginal cheias de buracos, qualquer chuva se criam inúmeras poças gigantes. Abandonou a prefeitura depois de prometer não fazer isso. Está criticando a reeleição já de olho na presidência do Brasil. Já no Governo, disse que iria abaixar o pedágio, e agora em JULHO/19 já ganhamos mais um aumento de pedágio. O PSDB é um perigo e Doria é um perigo ao cubo (DORIA³). SAFADO, MENTIROSO, BANDIDO. Pobre Brasil se esse lixo entrar na Presidência.

  • O Dória também se canditara…agora já vai começar a guerra já para presidente! E o cumulo. Lembrando que esse senhor fez absolutamente o mesmo quando abandonou a prefeitura para se candidatar!!!

  • O problema não é REELEIÇÃO E sim PÉSSIMOS POLÍTICOS que querem se perpetuar na mordomia, poder e eternos demagogos.To de saco cheio😾😾😾😾

  • estalinista fidel castro says:

    Governador a cidade está abandonado junto com um prefeito sem experiência quê está nem aí prá cidade conclusão estamos fudido com esses hipócrita

  • Vanessa dos Santos says:

    Francamente, Doria é marketing gourmet… Parece um Fake em forma de gente! Não terminou seu mandato na prefeitura, mal começou seu mandato de governador e jà começou a fazer propaganda para as proximas presidenciais. Não é politico, é gestor! Hoje é contra releição, veremos depois.. Quanto à entrevista realizada pela BBC, concordo com algumas manifestações aqui presentes. Pergunta-se muito sobre a politica no plano nacional, mas quanto às questões do Estado, é sério que Formula 1 é o mais importante? Por que não falar sobre a Educação do Estado e a Segurança publica? Enfim, cada veiculo escolhe a sua pauta, mas isso não significa que o publico, sobretudo, o eleitor paulista, acha a escolha do veiculo pertinente.

  • Gustavo Barbosa says:

    Eu acho que as perguntas ficaram fracas. Parece que não querem saber nada do Doria, só do Bolsonaro. Tô na metade do vídeo, vamos ver se melhora…

    No finalzinho teve umas coisas, mas acho que deviam ter sido o foco 🤷‍♂️

  • Início da conversa: "eu não vou dar juízo de valor ao governo Bolsonaro"
    Fim da entrevista: "Com todo o respeito, Bolsonaro não vai fazer isso, fez aquilo errado…."
    A jornalista Laís soube bem conduzir a entrevista de forma excepcional 👏 adorei

  • Solano Ribeiro says:

    Em relação ao "Russo". Será que é de se considerar as frases: Político que rouba, mas faz, é um bom político! Juiz que age acima da lei, mas faz, é um bom juiz!

  • Alcinei Machado says:

    Acho q a melhor forma de definir o Dória é com uma palavra só: político. Não sei se sou o único, mas tenho uma sensação de que ele tá constantemente pensando no que é melhor ele falar pra n perder popularidade, parece que tá sempre pensando em estratégia política.

  • Rodrigo Franchi says:

    Vivo no Reino Unido e por aqui o governo deixa claro que suas políticas visam o bem estar social. Há uma série de benefícios que retornam aos cidadãos vulneráveis, sem moradia e idosos. Se o investidor inglês soubesse como realmente é a reforma da previdência brasileira, e como ela atinge perversamente os mais pobres do Brasil, eles nem sentariam a mesa para conversar.

  • Não sou esquerda e nem direita. Mas essa entrevistadora tá muito pretensiosa para expor de forma negativa o governo federal aff a BBC veio ao Brasil como braço da Globo? Comecei a ouvir menos a CBN porque vi que é oposto ao governo, não consigo enxergar tanta imparcialidade.como falam

  • Francisco Reis says:

    A reforma da presidência só vai ferrar os pobres!!!!
    Vou citar apenas dois exemplos, na atual regra um vigilante que exerce atividade de risco se aposentaria com 1600,00 reais, com a reforma vai se aposentar com 998,00 reais.
    Inclusive acaba com a aposentadoria especial para os vigilantes, que correm risco de vida nas portas de bancos, no transporte de valores e outros.
    Sem contar os aposentados da "regra geral", que também serão prejudicados!!!
    E não é um problema do atual governo, nos três anteriores também foi assim, eles tiram da população e não daqueles que estão na ponta da pirâmide social; políticos, juízes e gestores públicos em geral.
    #MORONOSTF
    #LULAPRESOPRASEMPRE

  • Villegaignon Marinho says:

    O Bozo hoje e o rei do gado com o tempo vai perder o titulo para BozoDória ???? É por esse motivo que ele não fala mal do Bozo para não queima o filme com os bolsomions antes das eleições ????

  • Alex Nepomuceno says:

    Sr. Dória, palavras infelizes as suas, ao defender que quando um juiz comete crime é por boa intenção. A mim não interessa se é corrupção de direita, de esquerda, do executivo, do legislativo, ou do judiciário, tudo é corrupção. É assim que você governa São Paulo? Para fazer algum bem vc também admite corrupção na sua administração? Essa dualidade moral é que nos deu o lulopetismo, o Bolsonarismo e o Morismo. E parece que o senhor quer inventar o Dorismo. Isso é populismo e não Estadismo senhor! Tenha compostura e saiba que as palavras tem sentido. Hipocrisia não é digna da história de um partido que teve Fernando Henrique como Presidente e que nos tirou do atraso e da inflação. Tenha respeito com as leis e com o Estado Democrático de Direito. Tenha compostura e decoro, chega desse esgarçamento populista da democracia e das instituições. Não é preciso descer o padrão da comunicação para se comunicar com a sociedade, vocês estão ridicularizando o discurso e a fala para manchetes e curtidas, não se importando com as consequências cívicas e democráticas dessa depredação do debate público. Isso é vergonhoso e indigno!

  • Luciano Batista says:

    Bolsonaro disse que se houver uma reforma política boa e acabar com a reeleição ele desiste da candidatura dele em 2022, mas como um bom político é difícil em acreditar, vai ser uma briga suja e bem disputada em 2022, Dória,Bolsonaro,Hulk entre outros.

  • rodrigo marra araujo says:

    Vir falar que depois da eleicao e hora de focar na gestao. 2 anos depois vira governador. vamos ver nos proximos 4 anos.

  • Jeremias Lepkoski says:

    Defendendo as posturas corruptas do Moro, simplesmente isso não me surpreende vindo do Dória. O benefício da lava jato dá aval para a corrupção feita por Moro. Valeu a pena, segundo Dória, não deixa de apoiar Moro. Os fins não justificam os meios. Corrupção não se combate com partidarismo e corrupção do judiciário. Moro criminoso sim!

  • Francisco De Paula says:

    ESSE DÓRIA É MASCARADO ,,, QUERO VER OS HOSPITAIS ESTADUAIS , EDUCAÇÃO , SEGURANÇA E OUTROS , ISSO VAI DIZER SE PODEMOS CONFIAR NESSE CARA

  • Cacete, não tinha ninguem mais despreparada para essa entrevista nao? Ficar fazendo pergunta sobre o Bolsonaro pro Doria? Pelo amor…coloca alguem com mais experiencia da próxima vez. Tanta coisa interessante que poderia ser perguntada e focou só em "lacrar"…

  • Sei que muitos vão discordar, mas eu acho o Dória se tornou um baita político no sentido da comunicação dele altamente profissional, séria, de maneira perfeita responde às questões ardilosas da jornalista. Tbm gosto do Bolsonaro em muita coisa, mas a forma fanfarrona dele agir é muito desgastante no longo prazo.

  • Aquela "estoria: Lula é ladrão mais é o melhor pra administrar o país; fez coisas no país que ninguém q u e usufruiu esquece,
    Rsrsrs.

  • Ricardo de Almeida Freitas says:

    INDECENTE o posicionamento de JOÃO DORIA, o define como grande apoiador dos INTERESSES DE BANQUEIROS E INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS QUE JAMAIS SE ALIARAM ÀS REGRAS DA PRESERVAÇÃO AMBIENTAL DO PLANETA NÃO SIMPLESMENTE DO BRASIL ! DORIA, VOCÊ É UM COVANDE, ENGANADOR, DO BRASIL!!!

  • Suana Ferreira says:

    então o Bolsonaro tem dinheiro p/gastar milhões para fazer autódromo, e corta auxilio doença dos trabalhadores pq n tem dinheiro p pagar gente a nojo desses politicos q deveriam cobrar os artista bancos empresarios os milhões q ele devem e iso n faz ainda fala q é cristão .cristão do capeta isso simé revoltante vi em programas pessoas pedino ajuda p seu ente poder operar pegar remedio pessoas crianças morrem por falta medicos remedio leito minha esperança é q JESUS CRISTO MEU SALVADOR VOLTA LOGO PARA NOS LIVRAR DESSE MAL.

  • Maria Elenisse Pinho de Oliveira says:

    Eu não confio nesta conversa. Você, Dória, deveria perguntar: Por que não investigam o celular de Moro?

  • Maria Elenisse Pinho de Oliveira says:

    A única coisa que o Bolsonario faz é criticar o governo anterior. A impressão que me passa é: meu governo é péssimo, mas o governo anterior foi pior. Quem quer fazer a diferença não trabalha nesta linha. Eu quero justiça. Fora Moro!!!!

  • Governador cuzão,responde pelo presidente,São Paulo ainda é Brasil,seo cuzão,cadê a camisa Bolsodoria,quer tirar o time de campo,agora que o doido já foi enrabado pelos melancias.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *