Cortes em universidades: o que já é verdade e o que ainda é ameaça

Cortes em universidades: o que já é verdade e o que ainda é ameaça


Em cinco meses de governo, o Ministério
da Educação já teve dois ministros e anunciou uma série de medidas polêmicas.
A maior fonte de controvérsia atualmente é o corte no orçamento das universidades
federais Estudantes tomaram as ruas de mais de 200
cidades do país pra protestar “A maioria ali é militante – não tem nada na cabeça. Se perguntar 7×8, não sabe. Se perguntar a fórmula da água, não sabe. Não sabe nada. São uns idiotas úteis e uns imbecis que estão sendo usados como massa de
manobra de uma minoria espertalhona que compõe o núcleo de muitas universidades
federais do Brasil” E o ministro da Educação, Abraham Weintraub, foi convocado a dar explicações no plenário da Câmara Mas sobre os cortes
no orçamento, muita cifra foi mencionada e depois desmentida e algumas medidas
foram anunciadas, mas não chegaram a ser colocadas em prática. Eu sou Nathalia
Passarinho, repórter da BBC News Brasil aqui em Londres, e eu vou detalhar hoje o
que em relação aos cortes no ensino superior já é realidade e o que ainda é
ameaça. Vou abordar três medidas anunciadas pelo governo:
cortes no orçamento das universidades, congelamento de bolsas de pesquisa e
redução dos recursos nas áreas de ciências sociais e humanas Primeiro:
corte nas universidades federais O governo já contingenciou, ou seja, suspendeu
temporariamente, em torno de R$ 2,4 bilhões segundo o MEC, em
recursos das universidades federais Esse congelamento já está valendo e o
ministro da Educação diz que ele é parte do esforço de economia dos gastos
públicos. Mas até chegar a esse valor de mais de R$ 2 bilhões
teve muita confusão. Toda a polêmica começou quando o ministro da Educação
anunciou que cortaria 30% dos orçamentos da Universidade de Brasília,
da Universidade Federal da Bahia e da Universidade Federal Fluminense, porque
elas estariam promovendo balbúrdia nos seus campos e não teriam apresentado
resultados acadêmicos esperados Acontece que essas três universidades estão entre
as 50 melhores da América Latina, de acordo com rankings internacionais, e vêm
melhorando os indicadores a cada ano Bom, dias depois o secretário de Educação
Superior do MEC esclareceu que o corte de 30% atingiria todas as universidades indiscriminadamente.
Daí, a gente viu aquela cena que circulou nas redes sociais, na imprensa, do
ministro da Educação num vídeo usando chocolates para dizer que as
universidades perderiam só três chocolates e meio se o orçamento total
fosse de 100 bombons “Três chocolatinhos e meio, a gente não está falando professor. Esses três chocolatinhos e meio” Mas três chocolates e meio de 100 dá 3,5%,
não 30%. E o presidente Bolsonaro ainda comeu mais um chocolate, então será que o
corte foi de 4%? Calma, a gente explica Pra entender, a confusão é preciso entender
que existem dois tipos de verbas para universidades: discricionárias e
obrigatórias. No final das contas, o MEC esclareceu que o corte é de 30% sobre
despesas discricionárias, o que representa perto de 3,5% do orçamento total, que inclui gastos discricionários e obrigatórios. As
verbas obrigatórias são aquelas que ninguém pode mexer porque dizem respeito
a obrigações previstas em lei, como o pagamento de salários de servidores,
pensões e aposentadorias As discricionárias são todo o resto:
investimento em pesquisa, ampliação de infraestrutura, bolsas científicas, conta
de luz, pagamento de terceirizados e por serviços. Então só para lembrar: foram
cortados em torno de R$ 2,4 bilhões do orçamento de todas
as universidades federais. Segundo o ministro, a suspensão deve durar até
setembro, quando, ele espera, a economia vai estar com uma saúde melhor. Mas muitas
universidades federais já estão endividadas e dizem que, mesmo que por
alguns meses, esses cortes vão comprometer o
funcionamento delas. Elas começaram por exemplo a cortar bolsas, auxílio moradia
e auxílio alimentação dos estudantes E a associação que reúne reitores de
universidades públicas disse que algumas instituições são mais duramente afetadas
pelo bloqueio de recursos do que outras, porque não têm arrecadação própria e
dependem quase que inteiramente dos repasses do governo federal Agora o 2º ponto que eu vou abordar são os cortes nas bolsas de pesquisa e de pós-graduação A Capes, que é a principal instituição ligada ao MEC que fornece bolsas de pesquisa, sofreu um corte de R$ 819 milhões. O órgão
anunciou que bolsas ociosas, que estão vagas por enquanto ou que ainda não
começaram a ser pagas alunos que tiveram pesquisas científicas aprovadas, seriam
congeladas. Primeiro, foi anunciado que 4,7 mil bolsas seriam congeladas.
Depois a Capes desbloqueou parte delas e disse que na verdade seriam suspensas
3,5 mil bolsas Bom, hoje em dia existem cerca de 90 mil
bolsas ativas, de até R$ 2,2 mil por mês Um dado importante de mencionar é que o Brasil é o 12º país do mundo com maior
número de estudos científicos, segundo um ranking organizado pelo IndexMundi, com
dados da Fundação Nacional de Ciência dos Estados Unidos. E 95% dessas
pesquisas são realizadas em universidades públicas, segundo a Capes.
Esses dados contrariam uma declaração do presidente Jair Bolsonaro, de que as
universidades brasileiras fazem pouca pesquisa e que as que fazem são
universidades particulares. É o contrário Por fim, cortes nas áreas de ciências
sociais e humanas Outra fonte de polêmica é a intenção do
governo de reduzir verbas especificamente nas áreas de ciências
sociais e humanas Neste caso, diferentemente do bloqueio de
30% do orçamento para pesquisas e universidades federais,
o anúncio continua no plano da ameaça Ainda não é realidade. No dia 26 de abril,
o presidente Jair Bolsonaro anunciou pelo Twitter que o ministro da Educação
estuda descentralizar investimentos em faculdades de filosofia e sociologia,
entre aspas “humanas”, com o objetivo de focar em áreas que gerem retorno
imediato ao contribuinte, como veterinária, engenharia e medicina.
Esses são os cursos que ele citou Não está claro, porém, como seria feito um
corte específico nas áreas de ciências sociais e humanas.
A Constituição Federal garante a autonomia às universidades para
gerenciar os recursos repassados pelo governo federal. Ou seja, para distribuir
o dinheiro que elas recebem aos respectivos departamentos. E não há dados
compilados sobre distribuição do orçamento da educação para cada
departamento, mas professores e diretores de universidades com quem eu
conversei dizem que humanas e ciências sociais já recebem muito menos recursos
que programas de medicina, física e química por
exemplo. Até porque esses cursos demandam laboratórios e equipamentos. São mais
caros. Só um laboratório de física inaugurado recentemente na Universidade
Federal da Amazônia custou R$ 2 bilhões A gente pediu ao MEC detalhes sobre como esses cortes seriam feitos.
O ministério só respondeu que os recursos destinados a quaisquer áreas do
conhecimento serão estudados de forma a priorizar aqueles que, no momento, melhor atendem às demandas da população. Ou seja por enquanto não se sabe nem quando nem
como essa ameaça de corte em áreas específicas do conhecimento no ensino
superior pode virar realidade A gente vai continuar acompanhando de perto as
ações do Ministério da Educação para você ficar por dentro de tudo.
Se você tiver dúvidas e sugestões, só escrever aqui embaixo, nos comentários,
que a gente responde. Tchau

Author:

100 thoughts on “Cortes em universidades: o que já é verdade e o que ainda é ameaça”

  • Economia de gastos públicos? Isso é um grande absurdo! O governo Brasileiro está acabando com nós estudantes.

  • carlos de Souza gomes says:

    Tomara que corte é tudo mesmo, pelo menos até o país se recuperar do rombo que os governos passados deixaram não esqueçam disso.

  • Carlos Pascotto says:

    Contingenciamento não é corte. 30% das verbas discricionárias e quando não der para o reitor controlar os gastos, se apresentada uma planilha que justifique, o governo vai liberar verba de forma seletiva. Dessa forma, evitaremos mal isso do erário.

  • Sakura OIiveira says:

    Otimó video, pena que a roupa dela ficou estranha, meio que enrolada na parte do peito. A produção podia dar uma puxadinha, ela esta tão linda haha.

  • marcklara2009 says:

    Realmente, ela falou a verdade, mas seria um contigenciamento, e não corte literalmente, ou seja poderá ser liberado o total dos 2 BI e 300, ou parte dele.
    Mas isso soa como corte, jornal não vive de histórias felizes e sim de tragédias, quanto mais alarmante for, melhor é.
    Vc tem que pegar pelo lado negativo senão não vende.
    Esse tipo de corte não foi o Bolsonaro e nem o ministro que inventou, já fizeram e muito nos governos anteriores, isso em épocas das vacas gordas.
    Jornal é jornal, muda o nome, mas no fim é mais do mesmo.

  • Wells Velasquez Maciel says:

    Ta sem grana?? Manda o orçamento e o balanco pra brasilia….veremos se os reitores autorizaram. Eu duvido

  • Rosas CHAMPAGNE says:

    Ele comeu a barrinha que seria no caso 30 por cento, mas nao comeu trinta barras comeu só 3,5 kkkkkkk olha o que vcs elegeram pra representar o país, ele é ruim de calculo kkkk

  • pra quem falava que o governo de Dilma(PT) FOI UM DESASTRE,o que dizer deste,.Acredito que PMDB E PSDB se tivessem sonhado que o "impecheament" tivesse o resultado que teve não teriam levado adiante, foi um verdadeiro tiro nos pés.por falar nesses partidos, onde estão seus grandes lideres defensores da moral,da justiça , da honestidade do bom senso e do bem estar dos BRASILEIROS , hem?

  • Mesac Vitor Saturnino says:

    Tem que corta esses gatos mesmo com esse ciências sociais e humanas é só jogar dinheiro no ralo com maconheiro, drogado além de ser áreas que nada acrescenta economicamente a população e não produz nada. São cursos voltados a ideologias ultrapassadas e que só geram militantes defensores de Karl Marx que era um cara preguiçoso, explorava a sua esposa e demais pessoas que a cercavam.

  • Eu fico triste, de verdade, pois vários amigos meus tiveram que desistir de pesquisas e vários outros colegas perderam empregos em projetos sociais que levavam o estudo de Inglês e francês em áreas periféricas. Não voto em Bolsonaro nem no PT. A política brasileira mudará, quando o governo parar de funcionar para banqueiros e começar a pensar no povo.

  • Esse Bolsonaro não tem postura de presidente, não tem respeito por parte dos brasileiros e não tem educação!!! É um verdadeiro desgoverno, piorando todos os setores do Brasil como a educação, a saúde e a segurança! Eles simplesmente não sabem o que estão fazendo e mente descaradamente para a população brasileira!!!

  • sim o Brasil é o 12 pais com numero de estudos científicos , porem isso não é bom já que investimos bem mais que a Espanha , Canada e Itália e é claro que 95% das pesquisas são em faculdades publicas ja que elas estão em maior quantidade e tem mais alunos .

  • Guilherme NataN says:

    Vamos aos fatos:
    O presidente é um idiota;
    Nenhum pais desenvolvido esta onde está sem investimentos pesado em educação (Alemanha, Japão, Cingapura, Korea, França, ente outros);
    Tirem dos salários dos políticos que estes sim só fazem balbúrdia.

  • Henrique Katz says:

    Em casa que falta pão, todo mundo grita e ninguém em razão!
    A grana sumiu, graças a governos ladrões anteriores!

  • Mª M. M. MARTINS says:

    Tem balburdia sim! Quem mora em Brasília sabe muito bem o que acontece na UNB , ano passado vi pais tirando seus filhos de lá para não serem prejudicados , e é bom lembrar que o dinheiro da balbúrdia é público ! A UNB já foi uma universidade de referência!

  • Faltou colocar a relevancia dessas pesquisas la fora, de que adianta ter tanta pesquisa se podem ser irrelavantes?

  • Richardson Gouveia says:

    Esqueceu de mencionar a relevância desses estudos e pesquisa na produção científica mundial e também do desempenho dos alunos nos testes acadêmicos. Pífio!!!

  • Maria Aparecida says:

    Esses jornalistas brasileiros da BBC são tendenciosos sim. A prova está aí: a apresentadora afirma várias vezes, com todas as letras, que houve "cortes". Ou eles também não sabem a diferença entre corte e contingenciamento? Há tempos observo essa tendência esquerdista nas matérias que noticia e no enfoque dado. Quanto aos "idiotas úteis", quem os descreveu foi Lenin.

  • Lucas Araujo says:

    Eu tenho uma dúvida, por quê não abre as universidades para investimentos externos, pesquisas financiadas por empresas? Com toda certeza o mercado iria querer baratear os custos dos produtos ou investir em robótica.

  • Antonia Abreu says:

    parabéns Nathalia, ótimo texto, adorei a explicação!! qee agonia arruma a sua roupa da próxima😅

  • pobre abrindo champanhe pobre says:

    LULADRÃO Dilma e temer também cortaram bilhões da educação e não deu esse bafafá todo.

  • Marco Machado says:

    MEU DEUS, NINGUÉM SABE O QUE SIGNIFICA CONTINGENCIAMENTO??
    É A MESMA COISA QUE TU FAZES QUANDO O TEU CARTÃO ESTOURA.

  • Você pode ser de direita, de esquerda, petistas, bolsonarista ou qualquer outra coisa, mas o fato é que ninguém sabe ao certo como pronunciar o nome do ministro do MEC

  • Brasil.. economia quebrada, em crise. Quando deveríamos estar prezando pela excelência na gestão, e discutindo metodologias e ideias para reduzir desperdícios, estamos na verdade brigando para impedir ações que visam cumprir a LDO.. na contramão das reais necessidades da nação. Qualquer profissional que já trabalhou com orçamento entende que não tivemos as receitas previstas no orçamento e por isso não temos o recurso que havia sido orçado.. falar que é corte é vergonhoso, triste e com foco único em prejudicar a imagem do governol. Isso é um desserviço da mídia brasileira… mas não tenda dúvida.. a população vai descobrindo a verdade com o passar dos dias.

  • vivi pra ver um presidente querer ofender manifestantes, parece criança de 10 anos, toma mamadeira de piroca presidente do cão

  • Leo Davincch says:

    2:25 Isso foi uma forma de explicação mais fácil para que até um idiota possa entender!! Porque explicam explicam e não entedem ou se faz de besta. Mais acredito que são bestas mesmo

  • Leo Davincch says:

    A mulher sapiens e a alma mais honesto do Brasil. "CORTARAM" eu citei CORTARAM!.. Mais do que o atual governo. 3 vezes mais! E ninguém disse nada 🙄

  • Paulo Matheus says:

    Gostaria de deixar como sugestão que vocês da BBC coloquem as referências dos dados citados. Parabéns pelo trabalho de vocês.

  • Privatização do ensino superior. Meu dinheiro não é capim para sustentar esta cambada fazendo da universidade a casa de Mãe Chica. O dinheiro dos meus impostos deve ir para educação de crianças e adolescentes. Vão trabalhar para dar valor. Se alguém achar ruim trabalhe em dobro ;

  • Vladimir Da Silva Pereira says:

    Qualquer pessoa bem informada sabe que a maior parte do orçamento das universidades públicas vai para as aposentadorias integrais dos quadros esquerdistas das universidades públicas! bolso dos

  • Douglas Daniel Dimbarre says:

    Acho engraçado não ter dinheiro e o povo exigir um monte de coisas, parece aqueles filhos que exigem um brinquedo caro para o pai que não tem condições para pagar e depois fica endividado.

  • Aline Cristina G says:

    O Brasil tinha tudo pra ser top nos estudos
    Na parte dos científicas nem sabia., agora eh pena que teve esse corte todo

  • Jefferson de Oliveira Azevedo says:

    4:59 "Brasil é o 12º país do mundo com maior número de estudos científicos, segundo um
    ranking organizado pelo IndexMundi, com dados da Fundação Nacional de Ciência dos Estados Unidos. E 95% dessas pesquisas são realizadas em universidades públicas, segundo a Capes. Esses dados contrariam uma declaração do
    presidente Jair Bolsonaro, de que as universidades brasileiras fazem pouca pesquisa e que as que fazem são universidades particulares. É o contrário""

    Quem é TAPADO mesmo? não sabem nem a fórmula da água, né Bolsonaro? Agora ninguém fala do parentesco do Paulo Guedes com a Elizabeth Guedes, vice-presidente da Associação Nacional de Universidades Privadas. Agora entendo o porque que o Bozo falou que só universidades privadas fazem pesquisa.

    http://www.cartaeducacao.com.br/artigo/o-parentesco-desastroso-para-a-educacao/

  • Felipe Mascena says:

    Falou que o Brasil é um dos países que mais fazem pesquisas mas só faltou dizer que quase tudo é irrelevante e não são publicadas em nenhum estudo pelo mundo, só tem número e nada de qualidade. Quem quiser ver um trabalho bem feito veja o canal do Spotniks.

  • junim ravagnani says:

    Tem que cortar mesmo. Esses estudantes não tem nada na cabeça, não sabe nem fazer uma manifestação, só sabem gritar Lula livre em suas manifestações..esse é meu presidente….

  • Jefferson de Oliveira Azevedo says:

    Sabe porque o Bolsonaro ganhou a eleição? Por causa das pessoas não serem rotuladas como comunistas, acabaram votando no Jair. Foi tudo feito de forma proposital, bem articulada e bem pensada para que quem se opusesse ao então candidato à Presidência da República, fosse rotulado como comunista, Ptista, esquerdista, esquerdopata … e etc. O nome disso é polarização política e se dá quando resumem uma coisa com várias variáveis a somente 2 opções (direita ou esquerda).

    Imagine a seguinte situação:

    Todo dia o teu vizinho estaciona o carro dele em frente á sua garagem, impossibilitando de você sair com seu carro.

    Um belo dia você escreve a seguinte frase no teu portão, " quem estacionar aqui é corno" (ou viado) …

    Naturalmente ninguém estacionará em frente ao teu portão.

    O mesmo aconteceu com o caso do Bolsonaro, (quem não vota no Bozo é da esquerda) + Fake News contribuíram para a vitória dele.

  • Jefferson de Oliveira Azevedo says:

    De 2000 até 2013, o Brasil ficou coladinho com o Canadá, em pesquisa científica, duvida? Veja o link abaixo.

    Olha o Brasil fazendo pesquisas científicas universitárias. (Governo Dilma e Lula). https://www.indexmundi.com/facts/indicators/IP.JRN.ARTC.SC/compare#country=br:ca:cl:cu:us:uy:uz:vu:vi

  • Jefferson de Oliveira Azevedo says:

    Bolsonaro disse que não existe universidade brasileira entre as 250 melhores do mundo. A Universidade de São Paulo – USP está entre 251 -300 melhores universidades do mundo segundo o site americano "times higher education"

    Fonte: https://www.timeshighereducation.com/world-university-rankings/university-sao-paulo

  • Nilcylana Santos says:

    Adorei a impessoalidade. Isso sim é jornalismo, pois expõe TODOS os fatos, não induzindo a uma crença pessoal da apresentadora. Parabéns!

  • sou de acordo dos cortes sabe porque esses 30 por cento sao os gastos que eles nao conseguiram presta conta e pra onde foi esse dinheiro as univesidades nao conseguiram prestar conta pode ter certeza tem roubo sim tanto em licitacoes como em projetos

  • Luciano Leite says:

    Lula e Dilma também aderiram ao contingenciamento na educação em seus governos. Não é nenhuma novidade que cortes devem ser feitos para ajustar a economia. Quanto à greve, é só mais uma manobra dos líderes das centrais sindicais em conluio com partidos de esquerda para tentar enfraquecer o governo. A velha briga de sempre pelo poder.

  • Elisa, achei bem interessante toda essa pesquisa que vocês levaram a cabo, mas me ficou uma dúvida…
    Um dos gráficos apresentados coloca-nos na 12ª posição em pesquisas em 2013, mas não foi apresentado nenhum gráfico de dados práticos resultantes dessas pesquisas. Nós poderíamos dobrar ou triplicar os investimentos nestas universidades, mas que retorno financeiro teríamos em decorrências desses investimentos? Patentes sobre descobertas? Novas tecnologias de produção ou de educação?
    Afinal, que respostas nossas universidades entregam em função de todo esse investimento???
    Obrigado

  • Gostaria de ver essa grade equipe, abordar três assunto violência, cortes na educação e desmatamento na Amazônia a partir de FHC até hoje.

  • Espero que o Bolsonaro tire das universidades federais que são uma piada, e invista pesado na educação básica, os alunos de hoje é caso perdido, mais podemos salvar nossos futuros ESTUDANTES!
    #MAISNAEDUCAÇÃOBASICA!

  • Brasil é nosso ordem e progresso says:

    Tem jeito não mesmo com um jornal imparcial e explicações usando bombons nada entra em manadas de jumentos petistas sem chance caso perdido. Bem avida segue e oque importa é agora com esse governo e ajuda dos militares será feito oque tem que ser nem que seja com balas de borrachas no lombo desses inúteis úteis.

  • Michel Macena says:

    Está muito claro que o governo quer desidratar as áreas e campos do conhecimento em que há maior número de opositores. A situação no Ministério da Educação reflete a incapacidade de gerenciamento por parte desse governo. Preparem-se, estamos apenas no começo do mandato.

  • Mercides Pacheco says:

    Perdi me pai com 14anos, fui trabalhar de officeboy para sustentar minha mae e meus dois irmaos, pagei supletivo pra terminar meu primeiro grau, depois fiz enceja pra terminar o segundo hoje faço engenharia elétrica e pago do meu bolso com salário que ganho, sem contar todos os cursos que fiz no SENAI que também recebe verbas do governo e sempre paguei muito caros por estes cursos…Resumo, por mim pode privatizar toda s estas federais e escolas de 2 grau, manter somente o ensino primário e investir toda essa grana na saúde!!!! Sem contar que isso daria uma facada bem no coração da esquerda, pois estes alunos não passam de militantes de esquerda!!!! Para aqueles de baixa renda o governo pagaria para ele estudarem em faculdades particulares nos curso de medicina e engenharias somente…Essa é a minha opinião!!!!

  • Carlos Silvano says:

    Que coisa deprimente os caras fazendo analogias usando chocolates esse governo é de uma mediocridade absurda.

  • Rogerio Franco says:

    Esse povo vive de FALSAS VERDADES. Imaginam uma realidade e passa como verdade. Só FAKE. Pena que os FIÉIS parecem não veem a verdade

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *